Inovação

Quais os tipos de inovação: um guia completo para se manter competitivo e se destacar no mercado

By 11 de novembro de 2020 No Comments
Quais os tipos de inovação

Compartilhe isso!

Inovar significa atender a uma necessidade que já existia de uma maneira nova. A inovação, ao contrário do que muitos pensam, não está em criar novas necessidades para as pessoas (isto vem de dentro para fora, não de fora para dentro!) , mas em atendê-las de uma maneira diferente e melhor do que antes estava disponível.

Mas você sabe quais os tipos de inovação uma empresa pode adotar para atingir esse objetivo?

No contexto corporativo, inovar e ser capaz de se adaptar às mudanças decorrentes do processo de inovação são fatores determinantes para que uma empresa obtenha sucesso e consiga se destacar no mercado em que atua.

A globalização, a transformação digital nas empresas e os avanços tecnológicos são os principais responsáveis pelo acirramento da concorrência entre modelos de negócios dos mais variados segmentos. E, para conseguir sobreviver, a inovação se torna algo indispensável.

Com as constantes transformações pelas quais o mundo dos negócios vem passando, conhecer quais os tipos de inovação que uma organização pode implementar é fundamental para que ela possa ficar à frente do mercado.

Pensando nisso, elaboramos aqui um guia para explicar os diferentes tipos de inovação organizacional e suas particularidades:

  1. Inovação radical;
  2. Inovação incremental;
  3. Inovação disruptiva.

Convidamos você a continuar a leitura deste conteúdo para conferir também alguns exemplos de como os diferentes tipos de inovação podem ser observado na prática:

  1. Inovação em produto;
  2. Inovação em serviço;
  3. Inovação tecnológica;
  4. Inovação organizacional;
  5. Inovação logística;
  6. Inovação em processo de produção.

Confira em nosso blog: Design estratégico e inovação: o que é e como funciona na prática

O que é inovação?

Nas últimas décadas, muito tem se discutido sobre a importância de as empresas se pautarem na inovação. Mas, afinal, o que significa inovação?

Não existe uma definição absoluta sobre o conceito de inovação. Vários estudiosos, como Peter Drucker, Ernest Gundling e C.K. Prahalad, apresentam suas próprias definições sobre o que, de fato, esse termo significa.

No entanto, embora haja diferentes maneiras de expressar em palavras o real significado de inovação, é seguro dizer que inovar é conseguir encontrar uma solução completamente nova para um problemas específicos.

A inovação, no contexto corporativo, precisa ser algo inédito e capaz de gerar valor para a empresa e para os consumidores.

Tornar os processos mais eficientes, reduzir os custos de maneira significativa, atender determinados nichos e assumir a liderança no mercado são alguns dos motivos para se investir em inovação.

Leia também: 4 dicas para promover a inovação nas empresas

Quais os tipos de inovação organizacional?

A inovação permite que a empresa consiga se aprimorar de maneira contínua e potencializar seu desempenho, atendendo as expectativas dos stakeholders.

Nesse sentido, existem diferentes tipos de inovação que uma empresa pode adotar. Esses tipos se diferem, basicamente, em relação à abrangência, ao impacto e à aplicabilidade da inovação.

Para que você possa entender melhor, continue a leitura e veja quais são os 3 tipos fundamentais de inovação.

1 – Inovação radical

Iniciando a nossa lista sobre quais os tipos de inovação, temos a radical. Ela recebe esse nome porque as mudanças propostas buscam revolucionar a dinâmica da empresa e do mercado.

A inovação radical ocorre quando a empresa efetua mudanças drásticas em seus produtos, serviços e processos, cria um novo mercado ou transforma profundamente um mercado já existente.

A inovação radical provoca transformações também no relacionamento entre a empresa e seus clientes e fornecedores.

A inovação radical não é algo que acontece da noite para o dia e de maneira isolada. Trata-se de um processo pensado a longo prazo, cujo objetivo é explorar novas oportunidades e propor soluções que vão ditar as regras do mercado.

Mais a frente vamos abordar os exemplos de tipos de inovação. Mas já podemos adiantar que, no caso da inovação radical, a Apple é um exemplo de empresa que revolucionou os mercado de tecnologia ao lançar o iPhone.

Veja mais: 7 características de inovação radical e inovação incremental: veja qual usar em sua empresa

Confira mais sobre a inovação radical neste infográfico:

inovação radical e inovação incremental

2 – Inovação incremental

Dando continuidade à nossa explicação sobre quais os tipos de inovação, não podemos deixar de falar da incremental.

Basicamente, esse tipo de inovação busca fazer incrementos às soluções que a empresa já desenvolve e disponibiliza para o mercado.

A intenção é aprimorar os produtos ou serviços de maneira contínua e atualizá-los em relação às necessidades do mercado. Tendo em vista que tais necessidades tendem a mudar no decorrer no tempo, cabe a empresa acompanhar essas transformações.

Na inovação incremental, a empresa realiza melhorias facilmente perceptíveis a curto prazo. Dessa forma, busca-se se manter competitivo no jogo sem, necessariamente, mudar as regras e causar um grande impacto.

Ainda com o intuito de gerar valor para os clientes, a inovação incremental é menos arriscada e possui um grau de complexidade baixo.

A empresa pode, por exemplo, adotar uma inovação radical (criação do iPhone) e fazer mudanças incrementais (versões do iPhone lançadas anualmente) para não perder competitividade e se atualizar perante às mudanças do mercado.

Leia mais: Inovação e invenção: entenda o que cada termo significa, as diferenças entre eles e 3 exemplos reais

3 – Inovação disruptiva

Encerrando a nossa lista de quais os tipos de inovação, temos a tão falada disruptiva.

Pelo menos nos últimos 10 anos, o termo “disruptivo” tem sido mencionado com crescente frequência quando o assunto é inovação nos negócios.

No entanto, o conceito de disrupção foi introduzido há mais de 30 anos por Clayton Christensen, renomado professor de Administração na Harvard Business School.

Segundo Christensen, inovação disruptiva é um processo em que uma solução é substituída por uma outra superior que modifica o comportamento de um mercado consumidor.

As soluções inovadoras disruptivas são escaláveis e buscam atingir um grande volume de usuários.

As mudanças não necessariamente são feitas no produto ou no serviço em si, mas sim na maneira com que eles são disponibilizados para o público, mudando a maneira com que as pessoas se comportam diante dessa solução.

É por meio da inovação disruptiva que as startups de diferentes segmentos vêm batendo de frente com grandes organizações tradicionais com décadas de experiências.

A inovação disruptiva também busca tornar determinadas soluções mais acessíveis e gerar escalabilidade, desafiando modelos de negócio já estabelecidos.

Veja mais detalhes: O que é inovação disruptiva e como ela é capaz de transformar pequenas e grandes empresas

Independentemente do tipo de inovação, ela segue um processo, conheça suas 5 etapas:

etapas do processo de inovação

Diferentes tipos de inovação: exemplos práticos

Agora que você já sabe quais os tipos de inovação que uma empresa pode adotar, é hora de conferir alguns exemplos em que esses três tipos fundamentais podem ser observados na prática.

1 – Inovação em produto

Iniciando nossos exemplos de tipos de inovação, a de produto é a mais facilmente observada. Ela pode ser radical, com a criação de um produto nunca antes visto e que criou um novo mercado (microondas, televisão, smartphone etc.) ou incremental, como as atualizações que a Apple faz no iPhone a cada ano.

As inovações de produto buscam trazer algo inédito para o público, como novos recursos e funções.

Veja também: Exemplo de inovação de processo: como sua empresa pode aprender com o case da Ford

2 – Inovação em serviço

Assim como o exemplo anterior, a inovação em serviço também busca oferecer novidades para o público consumidor, transformando a maneira com que determinados serviços são disponibilizados.

Um exemplo de inovação em serviço que podemos citar é o de delivery. Se antes era necessário ligar para determinado estabelecimento e pedir para eles entregarem em casa determinado produto, hoje existem aplicativos que agregam diferentes estabelecimentos e permitem que o usuário possa fazer seus pedidos pelo celular.

Ifood e Rappi são exemplos de tipos de inovação em serviços. Essas empresas modificaram a maneira com que muitas pessoas fazem suas compras.

Leia mais: Design estratégico: identifique oportunidades e encontre soluções com criatividade e inovação

3 – Inovação tecnológica

Outro exemplo de inovação, e talvez a que vem primeiro na cabeça das pessoas, é o que se refere ao campo da tecnologia.

São inúmeras as inovações tecnológicas que a humanidade tem experimentado nas últimas décadas, com o advento da quarta revolução industrial. Só para citar algumas, temos a Inteligência Artificial, a computção na nuvem, a internet das coisas e a biometria.

Muitas inovações tecnológicas são facilmente percebidas no dia a dia de muita gente, como o reconhecimento facial ou por digital para desbloquear o smartphone, os aparelhos domésticos conectados, o armazenamento de dados na nuvem (Google Drive, iCloud etc) e os assistentes virtuais (Alexa e Siri).

Veja mais: Conheça as 5 etapas do processo de inovação e deixe sua empresa à frente da concorrência

Quarta revolução industrial? Entenda nesta infográfico da Heflo:

Inovação radical e inovação incremental

4 – Inovação organizacional

A inovação organizacional provoca uma mudança radical na empresa ou até mesmo a criação de um novo modelo de negócio.

A Salesforce é um exemplo de inovação organizacional. A empresa desenvolveu um sistema de CRM lá em 1999 e passou a comercializá-lo como software as a service (SaaS).

Atualmente, várias outras empresas desenvolvem e comercializam soluções de software nesse mesmo modelo de SaaS. Antes, o esquema de assinatura era mais comum em serviços de TV a cabo, jornais e revistas.

Leia também: O que é cultura de inovação e 6 dicas precisas para implementá-la em sua empresa

5 – Inovação logística

A inovação logística também é um exemplo que vale a pena ser citado por aqui. Esse tipo de inovação trata do processo de armazenamento, distribuição e transporte de mercadorias das empresas.

A Amazon recentemente apresentou uma novidade que a entrega de pedidos por drones. Em algumas cidades, o drone voa até a casa do cliente e entrega a mercadoria na porta.

Com essa inovação logística, a Amazon consegue aumentar a agilidade de suas entregas e a satisfação de seus compradores, além de reduzir custos com o transporte.

6 – Inovação em processo de produção

Esse tipo de inovação busca melhorar a eficiência e a qualidade dos processos produtivos, implementando novas práticas, metodologias e recursos tecnológicos.

Um exemplo é método Toyota de produção, que tem como objetivo tornar a linha de montagem de carros mais enxuta e ágil.

A introdução de robôs dotados de inteligência artificial nos chãos de fábrica também é um exemplo desse tipo de inovação.

Veja também: 5 novos modelos de negócios para você diversificar a maneira como faz lucro

Bom, ficou claro quais os tipos de inovação que uma empresa pode implementar?

Como você pôde perceber, inovar é algo essencial para que uma empresa possa se desenvolver e se manter competitiva no mercado.

Portanto, inove no seu modelo de negócio e saia à frente de seus concorrentes.

Quer dicas sobre inovação de quem é, literalmente, PhD no assunto? Então, confira este vídeo do Professor Mário Sérgio Salerno, da USP:

A Setting é uma empresa de consultoria que ajuda seu negócio a inovar em busca de resultados. Para isso, usa uma metodologia sistêmica, tomando decisões baseadas em fatos.

Uma inovação pode significar ter que mudar seu modelo de negócio. Veja como fazer isso em nosso e-book gratuito: Modelo de Negócio – Como e quando mudar?

Jorge Secaf Neto

Author Jorge Secaf Neto

Sócio fundador da Setting e Conselheiro Certificado IBGC, atua como Conselheiro, Consultor Sênior ou assume responsabilidade executiva (interim manager) em organizações que buscam transformação. Graduado em engenharia civil (Mackenzie), pós-graduado em engenharia de produção (Politécnica), possui formação executiva por meio de cursos de longa duração em instituições de renome no Brasil e no exterior (Fundação Dom Cabral; Kellogg; INSEAD; Harvard). Atuou como examinador do Prêmio Nacional da Qualidade por 10 ciclos e tem seus principais interesses acadêmicos e profissionais vinculados à educação executiva e à busca pela excelência em governança e gestão organizacional.

More posts by Jorge Secaf Neto

Comentários no Facebook