Inovação

Inovação e invenção: entenda o que cada termo significa, as diferenças entre eles e 3 exemplos reais

By 16 de setembro de 2020 No Comments
Inovação e invenção

Compartilhe isso!

Invenção é algo novo, que veio do zero, nunca antes experimentado dessa forma. Já a inovação é a evolução de algo que já existe, melhorado e aperfeiçoado. Além disso, a inovação, muitas vezes, surge de forma disruptiva e revolucionária.

Você fazia ideia desses conceitos que mostram claramente qual a diferença entre invenção e inovação?

Na verdade, é comum que esses termos sejam tidos como sinônimos por algumas pessoas, seja pela semelhança entre as palavras ou por serem muito utilizadas para se referir a algo novo.

De fato, inovação e invenção são termos que, em sua essência, tratam de alguma novidade. Mas, apesar de terem esse ponto em comum, há sim diferenças que merecem ser consideradas.

Por isso, neste artigo, você vai entender o que é inovação e invenção e o que difere esses dois conceitos. Além disso, vamos mostrar também 3 exemplos de invenção e inovação para que você possa compreender com mais clareza:

  1. Microondas
  2. Carros automáticos
  3. Câmera fotográfica

Veja também: Design estratégico e inovação: o que é e como funciona na prática

O que é inovação e invenção?

Inovação e invenção são palavras que partem do mesmo princípio. Ambas se referem ao ato de quebrar paradigmas em direção a algo novo. O objetivo é criar algo diferente do que já encontrava-se estabelecido.

Não entanto, inovar e inventar não apresentam o mesmo significado. O ato de inventar tem a ver com criar algo totalmente novo, nunca antes visto. Essa nova criação não necessariamente será algo inovador. A inovação, por sua vez, está mais intrínseca ao potencial de adesão à ideia em questão.

Pode parecer um pouco confuso, mas fica tranquilo que vamos esclarecer tudo para você.

  • A invenção traz ao mundo algo completamente do zero.
  • A inovação, por sua vez, atualiza, aprimora e traz um aspecto de novidade para algo já existente.
  • Inovar é conseguir evoluir o conceito original (invenção), introduzindo novas funcionalidades e metodologias que façam mais sentido para os usuários.
  • Podemos definir a inovação como o uso criativo de uma invenção.

Veja mais:

Se você ainda não conhece as etapas do processo de inovação, então, confira este infográfico:

etapas do processo de inovação

E qual a diferença entre invenção e inovação?

Bom, conforme o que acabamos de falar, já é possível apontar algumas diferenças básicas entre inovação e invenção.

Como dito anteriormente, as invenções são ideias únicas e originais, algo que ninguém havia pensado antes, concebido totalmente do zero.

Já as inovações se referem às novidades implementadas em ideias e conceitos já existentes. A intenção de melhorá-los e torná-los mais aderentes ao público-alvo para ao qual eles se destinam.

Se você quer saber mais sobre as diferenças entre invenção e inovação, então, confira este vídeo do Impulso Empreendedor:

Leia também: 7 características de inovação radical e inovação incremental: veja qual usar em sua empresa

3 exemplos de invenção e inovação

Para que você entender melhor a diferença esses dois conceitos, separamos aqui alguns exemplos de invenção e inovação.

1 – Microondas

O forno de microondas é uma invenção de Percy Spencer. Em 1945, o cientista estava trabalhando em um radar que operava a partir de ondas magnéticas quando, acidentalmente, descobriu que a temperatura perto do equipamento sofria alterações.

Na intenção de validar essa percepção, Percy Spencer conseguiu derreter uma barra de chocolate apenas com o uso das ondas eletromagnéticas. Ele, então, utilizou esse princípio para criar o que hoje conhecemos como forno de microondas.

Portanto, trata-se de uma invenção, tudo criado do zero, algo novo mesmo!

2 – Carros automáticos

A invenção do carro data do século XVIII, por volta do ano de 1769. De lá pra cá, a indústria automotiva vem passando por inúmeras inovações.

Atualmente, um exemplo de inovação observado nessa indústria são os carros automáticos. Ano a ano surgem surgem modelos com recursos que tornam a experiência de dirigir mais agradável e fácil.

Os modelos da Jeep, por exemplo, possuem um sistema de prevenção de incêndio (Fire Prevention System – FPS). Quando o automóvel sofre algum impacto, sistema FPS desliga a bomba de combustível automaticamente.

Há também a inovação dos airbags, presentes em praticamente todos os carros hoje em dia.

3 – Câmera fotográfica

A primeira câmera fotográfica foi inventada no século XIX. A primeira fotografia, produzida em 1826 pelo francês Joseph Nicéphore Niépce.

Assim como o carro, a câmera fotográfica é um exemplo de invenção que passou por várias inovações no decorrer da sua história.

O exemplo talvez mais notório de inovação relacionada a essa invenção é a possibilidade de fazer registros fotográficos extremamente nítidos pelo celular.

Se lá em 1826 Joseph Nicéphore Niépce precisou de 8 horas de exposição à luz solar para fazer a primeira foto, quase dois séculos depois foi possível inovar a ponto de conseguirmos fazer várias fotos em questão de segundos.

Leia mais: Exemplo de inovação de processo: como sua empresa pode aprender com o case da Ford

Veja mais sobre a importância da inovação nas empresas acompanhando este vídeo da StartSe:

E aí? Ficou claro o que é inovação e invenção e a diferença entre ambos? Conta pra gente nos comentários o que você achou!

A Setting é uma empresa de consultoria empresarial com foco em excelência e entrega de resultados aos clientes, por isso, usa uma metodologia sistêmica, baseada em fatos, para gerar valor para o seu negócio.

Inovar também pode significar ter que mudar seu modelo de negócio. Assim, que tal baixar nosso e-book gratuito e dominar esse tema?

Jorge Secaf Neto

Author Jorge Secaf Neto

Sócio fundador da Setting e Conselheiro Certificado IBGC, atua como Conselheiro, Consultor Sênior ou assume responsabilidade executiva (interim manager) em organizações que buscam transformação. Graduado em engenharia civil (Mackenzie), pós-graduado em engenharia de produção (Politécnica), possui formação executiva por meio de cursos de longa duração em instituições de renome no Brasil e no exterior (Fundação Dom Cabral; Kellogg; INSEAD; Harvard). Atuou como examinador do Prêmio Nacional da Qualidade por 10 ciclos e tem seus principais interesses acadêmicos e profissionais vinculados à educação executiva e à busca pela excelência em governança e gestão organizacional.

More posts by Jorge Secaf Neto

Comentários no Facebook