Gestão Empresarial

Ciclo operacional e financeiro: guia definitivo com conceito, importância, cálculo e exemplos

Ciclo operacional e financeiro

Compartilhe isso!

Muitos gestores e empresários costumam apresentar dificuldades em avaliar as finanças do negócio. Isso tende a comprometer as tomadas de decisão e, consequentemente, o sucesso da empresa.

Afinal, quando não há uma clara compreensão sobre as entradas e as saídas do fluxo de caixa e sobre a operação com um todo, fica mais difícil definir estratégias que tragam retornos significativos.

Para que haja eficiência gerencial, é imprescindível ter pleno conhecimento e controle sobre o ciclo operacional e financeiro da empresa.

Eles se referem às necessidades de recurso e às movimentações financeiras, bem como todo o processo que envolve desde a compra de matéria prima junto a fornecedores até o recebimento de clientes e geração de lucro.

Nas próximas linhas, você vai conferir um guia completo sobre o que é ciclo operacional e ciclo financeiro, como calculá-los e exemplos práticos para facilitar a sua compreensão.

Continue a leitura e saiba como o ciclo operacional e financeiro podem te ajudar a fazer projeções de fluxo de caixa, analisar a necessidade de empréstimos e de capital de giro da sua empresa e fazer com que ela se desenvolva com sustentabilidade financeira.

Além disso, confira estas 4 dicas de como fazer uma gestão mais eficiente do ciclo operacional e financeiro:

  1. Faça um bom planejamento orçamentário
  2. Reduza os prazos para recebimento das vendas
  3. Busque estender o prazo para pagamento dos fornecedores
  4. Use a tecnologia a seu favor

Leia também: Ciclo de gerenciamento de processos: o que é, como funciona e quais benefícios esse método pode trazer para o seu negócio

O que é ciclo operacional da empresa?

O ciclo operacional se refere ao tempo médio que uma empresa leva para completar as operações que envolvem suas atividades econômicas. O ciclo operacional da empresa começa a partir da compra de matéria prima dos fornecedores. Em seguida, inicia-se a produção da mercadoria, que logo depois de pronta é estocada para então ser comercializada. Por fim, após a realização das vendas, o ciclo operacional termina com o recebimento pelos clientes.

Ou seja, o ciclo operacional compreende o intervalo entre as saídas para financiar as operações e as entradas no caixa da empresa.

Ok. Mas como calcular o ciclo operacional?

A fórmula do ciclo operacional é a seguinte:

CO = Prazo Médio de Estocagem (PME) + Prazo Médio de Recebimento (PMR)

O Prazo Médio de Estocagem (PME) se refere ao tempo que a matéria prima e os produtos prontos para a venda ficam armazenados no estoque. O Prazo Médio de Recebimento (PMR), por sua vez, compreende o período que vai desde a realização da venda até o recebimento dos valores.

Ciclo operacional: exemplo

Para que você possa entender melhor o que é e como funciona o ciclo operacional de uma empresa, confira um exemplo prático.

Suponhamos que os produtos de uma empresa atacadista fiquem, em média, 45 dias armazenados no estoque (PME). Além disso, o Prazo Médio de Recebimento (PMR) é de 28 dias.

Logo, temos:

  • CO = 45 + 28
  • CO = 73 dias

Ou seja, o resultado desse cálculo mostra que o ciclo operacional da empresa atacadista leva, em média, 73 dias para ser concluído.

Quanto menor for o resultado do CO, melhor. Mas aguarde um pouquinho porque vamos falar mais disso nas próximas linhas.

E Ciclo PDCA, você conhece? Então, confira este post de nosso blog: Vantagens do Ciclo PDCA: veja como ele otimiza a qualidade da sua empresa

O que é ciclo financeiro da empresa?

O ciclo financeiro se refere ao caminho que o dinheiro percorre, desde o pagamento dos fornecedores até o recebimento dos valores das vendas efetuadas. O período de tempo entre a saída e a entrada no caixa compreende o ciclo financeiro.

E como calcular o ciclo financeiro?

O cálculo do ciclo financeiro depende do resultado do ciclo operacional. A fórmula do ciclo financeiro é a seguinte:

CF = Ciclo Operacional – Prazo Médio de Pagamento a Fornecedores (PMPF)

E o que acontece se o resultado do ciclo financeiro for negativo?

Ao contrário do que muitos gestores e empresários podem imaginar, o ciclo financeiro negativo não significa algo ruim para os negócios. Na verdade, quanto menor ele for, mais saudável e sustentável financeiramente a sua empresa tende a ser.

Quando o ciclo financeiro é negativo, significa que a empresa não efetua seus pagamentos antes de receber os retornos do que foi investimento na aquisição de matéria prima ou mercadorias já prontas.

Ou seja, o prazo dado pelos fornecedores foi suficiente para que a empresa os pagasse com o dinheiro recebido das vendas de seus produtos.

O ciclo financeiro positivo é o mais comum de acontecer entre a maioria das empresas. Nesse caso, a empresa paga os seus fornecedores antes mesmo de receber por suas vendas. Isso gera um déficit até o final do ciclo, que é quando ela finalmente recebe o valor das vendas.

Saiba mais: Como ser diretor financeiro: 5 dicas para chegar ao topo da carreira de finanças

Ciclo financeiro: exemplo

Ainda tomando como exemplo a empresa atacadista que citamos anteriormente, temos o ciclo operacional de 73 dias.

Suponhamos, então, que o Prazo Médio de Pagamento a Fornecedores (PMPF) seja de 15 dias.

Logo, temos:

  • CF = 73 – 15
  • CF = 58 dias

Isso significa que o prazo entre o pagamento dos fornecedores e o recebimento das vendas é de, em média, 58 dias.

Trazendo esse resultado para uma análise anual, é possível concluir que o estoque da empresa atacadista girou 6,3 vezes em um ano (365 / 58).

O ideal é que os gestores consigam reduzir ao máximo o ciclo financeiro para que o estoque possa girar mais vezes e entrar mais dinheiro.

Dessa forma, a empresa atacadista do nosso exemplo deve negociar prazos maiores para pagamentos de seus fornecedores e reduzir o ciclo operacional para que haja mais dinheiro em caixa.

Veja também: 4 razões que mostram como um bom planejamento financeiro pode ajudar sua empresa a crescer

A gestão de custos pode ajudar a melhorar seu ciclo financeiro, veja suas vantagens:

Gestão de custos e formação de preços

Ciclo operacional e financeiro: por que é importante entendê-los?

Agora que você já sabe o que é o ciclo operacional e financeiro de uma empresa e como funcionam os cálculos, fica a pergunta: por que é importante entender esses ciclos?

A relevância do entendimento sobre os ciclos operacional e financeiro de uma organização reside no fato de que, se eles não estiverem em equilíbrio, a empresa não conseguirá se sustentar financeiramente por muito tempo.

Além disso, esses ciclos tornam evidente a importância de uma gestão de estoque de qualidade.

Sem um estoque bem gerenciado, o ciclo operacional tenderá a ser mais longo, ocasionando no acúmulo de mercadorias e na redução do faturamento do caixa.

Ciclo operacional elevado é sinal de que há pouca saída do estoque e pouca circulação de dinheiro.

Além disso, estoque muito cheio e com pouca saída pode gerar prejuízos com aluguel do espaço, manutenção e mão de obra.

O ideal é que esses ciclos sejam reduzidos para que possam girar mais vezes durante o ano.

Tendo isso em vista, vale a pena ressaltar também a importância de saber negociar prazos mais favoráveis junto a seus fornecedores. Essa é uma variável que interfere diretamente no resultado do seu ciclo financeiro; quanto maior o prazo para pagamento de fornecedores, menor será o ciclo financeiro.

Resumindo, o ciclo operacional e financeiro são importantes para que se possa aprimorar o giro de ativos e aumentar a entrada de dinheiro no caixa da empresa.

Leia mais: 4 razões que mostram como um bom planejamento financeiro pode ajudar sua empresa a crescer

4 dicas para uma gestão mais eficiente do ciclo operacional e financeiro

Uma das melhores maneiras de gerenciar tanto o ciclo operacional quanto o financeiro é integrando as informações cada um deles com ajuda da tecnologia.

Confira!

1. Faça um bom planejamento orçamentário

Com um planejamento orçamentário bem estruturado, é possível fazer projeções de receitas e despesas e definir melhor a distribuição de recursos. Esse tipo de documento orienta as tomadas de decisão e permite maior controle sobre o ciclo operacional e financeiro.

2. Reduza os prazos para recebimento das vendas

Conforme o que já foi dito em linhas anteriores, é importante que você busque adiantar ao máximo os recebimentos das suas vendas. Isso ajuda a reduzir o ciclo operacional e dar mais agilidade ao seu giro.

3. Busque estender o prazo para pagamento dos fornecedores

Procure também estender, o quanto for possível, os prazos para pagamento de seus fornecedores. Assim, você consegue uma janela maior para o valor das suas vendas entrar no caixa e você não ficar no vermelho.

Lembre-se de que essa variável é essencial para a manutenção de um ciclo financeiro sustentável.

4. Use a tecnologia a seu favor

Um software para gestão empresarial (ERP) pode ser um forte aliado para gestão do ciclo operacional e financeiro.

Esse tipo de sistema é capaz de otimizar uma série de tarefas, permitindo que os gestores possam se concentrar mais em aspectos estratégicos da gestão.

Um software de ERP pode, por exemplo, emitir alertas sobre abastecimento do estoque e prazos para pagamentos que estão prestes a vencer.

Veja mais: ERP Online: a tecnologia na sua empresa hoje!

Exemplos de sucesso no gerenciamento de ciclos

Dominar os processos financeiros e operacionais é fundamental para qualquer negócio.

Confira 3 casos de sucesso em que isso foi determinante:

  • Eliminação de gargalos operacionais e maior controle financeiro na Ripio Confecções: Case de sucesso Ripio
  • Monitoramento dos indicadores dos ciclos operacional e financeiro para tomada de decisão: Case de sucesso NUT
  • Implementação de metodologia BSC e acompanhamento automatizado dos indicadores: Case de sucesso ARMCO

Saiba mais sobre a metodologia BSC:

mapa estratégico BSC

Conclusão: receba antes, pague depois

Analisar os ciclos operacional e financeiro de uma empresa é uma prática que permite entender com maior clareza o funcionamento processos de entrada e saída de recursos e o quão eficientes eles são.

Além disso, calculando o ciclo operacional e financeiro fica mais fácil definir estratégias que garantam a saúde e a sustentabilidade econômica do negócio.

As projeções de cenários e as tomadas de decisão se tornam mais assertivas quando se tem pleno conhecimento e controle sobre esses ciclos.

Tenha sempre em mente a “regra de ouro” de quem trabalha com vendas: antecipe seus recebimentos e postergue seus pagamentos.

Ou seja, agilize as suas vendas priorizando recebimentos à vista e negocie prazos mais longos para pagamentos de seus fornecedores.

Dessa forma, será possível ajustar o ciclo operacional e financeiro da sua empresa, mantendo-os em perfeita harmonia e reduzindo-os o máximo possível. Assim, você conseguirá gerenciar melhor o seu capital de giro e garantir o funcionamento da sua operação.

O que achou do nosso guia sobre ciclo operacional e financeiro de uma empresa?

Agora que você já está mais por dentro desse assunto, fique atendo a esses ciclos na sua empresa e obtenha resultados cada vez mais satisfatórios.

Este post também pode ajudar você: O que é cadeia de suprimentos e como promover o gerenciamento adequado para obter o sucesso nos negócios

A Setting é uma empresa de consultoria que usa a visão sistémica e a tomada de decisão baseada em fatos, assim, entrega valor e resultados para seu negócio.

Dessa forma, analisa processos e cria planos de ação para sua padronização e melhoria contínua.

Nesse contextos, otimizar ciclos operacionais e financeiros passa por um bom planejamento estratégico. Veja como fazer um baixando nosso e-book gratuito: Planejamento Estratégico – O guia para fazer o Planejamento Estratégico de sua empresa

Vera Maria Stuart Secaf

Author Vera Maria Stuart Secaf

Sócia e Consultora sênior, atua há mais de 20 anos na gestão em organizações de diversos portes e setores. Ministrou aulas nos cursos de pós graduação da FUPAM, FEA/USP, FGV in Company e ANBIMA. Vera é administradora de empresas com MBA na Fundação Dom Cabral e Kellogg e Master em Governança na Nova Economia pelo GoNew Economy.

More posts by Vera Maria Stuart Secaf

Comentários no Facebook