Riscos e Compliance

Você sabe o que é Gestão de Riscos?

By 30 de janeiro de 2018 No Comments
O que é Gestão de Riscos

Compartilhe isso!

Os riscos são fatores internos e externos à determinada organização e que causam incertezas em qualquer negócio. Essas incertezas, aliadas a uma má gestão, podem acarretar prejuízos e fazer com que seu empreendimento feche as portas.

Assim, a melhor forma de lidar com essa questão é executar um bom gerenciamento capaz de medir e controlar os riscos, evitando que eles atinjam o caixa da empresa.

Mas como fazer isso? Antes de responder essa pergunta, é preciso saber primeiro o que é Gestão de Riscos.

Veja também: Como gestão de riscos e compliance podem tornar sua empresa mais sólida

O que é Gestão de Riscos?

Gerenciar riscos é saber adotar medidas com o potencial de prevenir ou eliminar tais riscos. É também saber identificar oportunidades que possam gerar valor para a organização.

Trata-se de uma série de processos específicos com o objetivo de fazer com que a empresa não seja prejudicada pelos riscos apontados, os quais apresentam diferentes impactos e probabilidades de acontecer.

Fazer a Gestão de Riscos é estabelecer estratégias que tragam equilíbrio entre as metas e objetivos a serem alcançados e os riscos que os rodeiam.

Confira também: Entenda os benefícios da governança corporativa para seu negócio

Por que a Gestão de Riscos é importante?

Saber o que é Gestão de Riscos não basta. É preciso compreender a sua importância.

Independentemente do porte do seu empreendimento, é a Gestão de Riscos que ajudará a definir o futuro da empresa. Por isso, é preciso estar ciente a respeito de todo o processo produtivo para descobrir possíveis falhas e minimizar os riscos.

Prevenção de perdas financeiras

As ações de Gestão de Riscos podem trazer inúmeros benefícios para a sua empresa. O principal deles é a prevenção de perdas financeiras. É muito comum, por exemplo, que uma empresa lance um produto no mercado sem conhecer e analisar direitos os riscos que cercam esse lançamento. Dessa forma, o prejuízo pode ser inevitável, e existem diversa histórias de produtos que fracassaram no mercado por falta de análises de risco.

Otimização de recursos e processos

Outro benefício é a otimização de processos e recursos operacionais. Isso acontece porque, ao identificar e gerenciar os riscos, é possível manejar os recursos de forma mais eficiente e definir processos mais seguros e eficazes. Assim, a eficiência e a produtividade da equipe e dos serviços são potencializadas.

Lucratividade

A margem de lucro da empresa também se beneficia de uma Gestão de Riscos competente. Resolver uma ameaça depois que ela já se instalou custa caro para qualquer empresa.

Com o gerenciamento bem executado, os riscos podem ser controlados para que não se tornem um problema.

Saiba mais: Gestão de riscos corporativos: uma necessidade estratégica

Como fazer uma Gestão de Riscos eficiente?

Agora que você já sabe o que é Gestão de Riscos e por que ela é importante, chegou o momento de você saber como fazê-la.

É comum que muitas empresas tenham departamentos específicos para o gerenciamento de riscos ou contratem consultorias especializadas. São eles que se dedicam a identificar ameaças e elaborar estratégias para preveni-las.

Cabe a esses profissionais executar tais estratégias e incentivar os colaboradores da empresa a cooperar para que tudo ocorra conforme o planejado.

Confira 5 passos para a execução de um bom gerenciamento de riscos

1.      Identificação

Como dito anteriormente, para conhecer os riscos é preciso conhecer a sua empresa. Quais são fragilidades e as vulnerabilidades do seu negócio? Em que contexto o seu empreendimento está inserido: amadurecimento, crescimento, expansão ou consolidação?

A partir disso, fica mais fácil identificar, compreender e analisar os riscos.

2.      Análise Qualitativa

Após definir o modelo de risco, é hora de ouvir os gestores da empresa para compreender como os processos e as atividades funcionam.

Por meio da análise qualitativa, será possível definir o grau de importância de cada risco e a probabilidade de eles se concretizarem.

3.      Análise Quantitativa

Essa etapa tem como objetivo investigar, com precisão numérica, quais os potenciais impactos e efeitos que os riscos identificados têm sobre a empresa.

4.      Planejamento de Respostas

Nesse momento, os riscos são colocados em ordem de importância a fim de priorizar aqueles com maior impacto e maior probabilidade de acontecer.

Após definir a prioridade dos riscos, é preciso elaborar um planejamento para monitorar ou eliminar tais riscos. As soluções devem ser específicas e baseadas em fatos.

5.      Monitoramento

Depois de determinar quais ações serão necessárias para lidar com os riscos, é necessário acompanhar como esses riscos estão se comportando.

Para isso, há diversas ferramentas que a empresa pode adotar: controles sistematizados, relatórios, indicadores de desempenho, criação de políticas internas e procedimentos, implantação de mecanismos de controle, canal de denúncias, etc.

Saber o que é Gestão de Riscos e como ela funciona é fundamental para o sucesso da sua empresa. Mas lembre-se: o mundo dos negócios é muito dinâmico e passa por constantes transformações. Por isso é preciso manter-se atento e informado, pois os riscos também mudam.

Fazer um bom diagnóstico empresarial pode ajudar a gerenciar riscos. Baixe nosso e-book gratuito e saiba mais sobre esse assunto: Por dentro do Diagnóstico Empresarial

Jorge Secaf Neto

Author Jorge Secaf Neto

Sócio fundador da Setting Consultoria e Gestão Empresarial e Conselheiro Certificado IBGC, atua como Conselheiro, Consultor Sênior ou assume responsabilidade executiva (interim manager) em organizações que buscam transformação. Graduado em engenharia civil (Mackenzie), pós-graduado em engenharia de produção (Politécnica), possui formação executiva por meio de cursos de longa duração em instituições de renome no Brasil e no exterior (Fundação Dom Cabral; Kellogg; INSEAD; Harvard). Atuou como examinador do Prêmio Nacional da Qualidade por 10 ciclos e tem seus principais interesses acadêmicos e profissionais vinculados à educação executiva e à busca pela excelência em governança e gestão organizacional.

More posts by Jorge Secaf Neto

Comentários no Facebook