Processos

Descubra o que é Controle Estatístico de Processo, por que é importante fazer e como aplicar no seu modelo de negócio

By 26 de novembro de 2020 No Comments
o que é Controle Estatístico de Processo

Compartilhe isso!

Você sabe o que é controle estatístico de processo (CEP)?

Trata-se de uma ferramenta de gestão que visa garantir a qualidade final das entregas e evitar falhas e desvios que podem comprometer os resultados dos processos de uma empresa.

Fundamental para a promoção da melhoria contínua, o CEP permite que sejam feitas avaliações sobre a estabilidade de cada processo a fim de identificar variações e não conformidades e minimizar os riscos que elas podem vir a representar para as metas e objetivos que se deseja atingir.

Para esclarecer melhor essa temática, elaboramos este conteúdo sobre o que é controle estatístico de processo e sua importância para os negócios.

Convidamos você a continuar a leitura para conferir também nos próximos parágrafos um passo a passo de como fazer CEP:

  • Definição dos processos;
  • Definição da amostragem e coleta de dados;
  • Estabeleça os limites do processo;
  • Construa o seu gráfico;
  • Monitore as variáveis.

E, além disso, exemplos de controle estatístico de processo para você se inspirar.

Veja também: Otimização de processos: guia definitivo para tornar os processos mais eficientes e melhorar resultados

O que é controle estatístico de processo?

Podemos definir o que é controle estatístico de processo (CEP) como um método utilizado pelas empresas para monitorar a qualidade de seus processos internos.

Para isso, são utilizados um conjunto de dados estatísticos e amostras de resultados que mostram desvios e potenciais falhas de execução nos processos analisados.

O CEP busca garantir que as entregas finais de cada processo organizacional atendam a um padrão de qualidade previamente estabelecido, respeitando os limites aceitáveis de desvios.

O controle estatístico de processo também busca assegurar um nível de estabilidade e previsibilidade dos resultados, reduzindo os riscos ao máximo.

Veja mais: Indicadores de processos de negócios: o que é e como implementar essa ferramenta de gestão na sua empresa

Qual a importância do controle estatístico de processo?

O controle estatístico de processo é uma prática extremamente importante para que, a partir de dados concretos, a empresa consiga padronizar a execução de seus processos e prever resultados com mais assertividade.

Dessa forma, passa-se a ter maior segurança sobre cada processo analisado, evitando desvios sistemáticos e variações que fujam do aceitável.

A importância do CEP também reside no fato de que esse tipo de controle contribui para que cada processo flua de maneira estável e conforme o esperado. Isso gera reflexos positivos na produtividade das equipes envolvidas, na otimização dos custos e dos recursos disponíveis, na eficiência das entregas e na satisfação dos clientes.

Além disso, o controle estatístico de processos favorece a redução de falhas e retrabalhos.

Leia também: Mapa de processos: o que é, para que serve, como fazer e 3 modelos para se inspirar

Controle estatístico de processo: exemplos

Para que você possa entender melhor o que é CEP, separamos aqui alguns exemplos de controle estatístico de processos na prática.

A ferramenta-chave utilizada no CEP são os gráficos de controle. Trata-se de uma representação visual da amostragem do processo em questão.

No gráfico, são traçadas três linhas que representam os limites de controle. Veja este exemplo:

o que é Controle Estatístico de Processo

Fonte: Voitto

Tomando a imagem acima como exemplo de controle estatístico de processo, imagine que se trata de um gráfico que analisa o processo de entrega de mercadorias de uma loja varejista.

O eixo X se refere ao número de semanas do período analisado e o eixo Y trata do número de entregas em atraso.

No meio, temos a linha média, a qual representa o resultado obtido. Já a linha superior de controle (LSC) e a linha inferior de controle (LIC) representam os limites de desvios permitidos para esse processo.

Quando as variações ultrapassam os limites, significa que o processo analisado encontra-se fora do controle estatístico, sendo necessário implementar ações corretivas.

No entanto, quando há uma grande variação dentro dos limites estabelecidos, há também de se verificar a causa disso.

Leia mais: Ciclo de gerenciamento de processos: o que é, como funciona e quais benefícios esse método pode trazer para o seu negócio

Passo a passo: como fazer controle estatístico de processo?

Agora é hora de conferir um passo a passo bem simples de como fazer controle estatístico de processo.

Passo 1 – Definição dos processos

O primeiro passo de como fazer controle estatístico de processo consiste em escolher os processos que serão analisados.

Passo 2 – Definição da amostragem e coleta de dados

Em seguida, você deverá definir a amostragem a ser analisada e coletar os dados necessários.

Passo 3 – Estabeleça os limites do processo

Nesta terceira etapa, é necessário estabelecer os valores dos limites inferiores e superiores que você considera aceitáveis.

Passo 4 – Construa o seu gráfico

Desenhe os eixos X e Y e trace as linhas LSC, LIC e LM. Marque os pontos no gráfico conforme os dados que você levantou.

Passo 5 – Monitore as variáveis

Por fim, você deverá monitorar as variações a fim de identificar suas causas e promover a melhoria contínua do processo.

Bom, ficou claro o que é controle estatístico de processo?

Se ainda tem alguma dúvida, esta animação do Canal Dana pode ajudar você:

Agora que você já sabe mais sobre o CEP, que tal implementar na sua empresa?

Saiba mais: Modelagem de processos de negócio: o que é, como fazer e principais benefícios para a sua empresa

A Setting é uma empresa de consultoria com foco na excelência e no cliente, valorizando as pessoas e trabalhando com ética e transparência. Para entregar valor aos seus clientes, a Setting usa uma metodologia sistêmica e baseia sua tomada de decisão em fatos.

Entenda como uma consultoria como a Setting pode ajudar sua empresa: O que esperar de uma consultoria em gestão e como escolher o parceiro certo

Vera Maria Stuart Secaf

Author Vera Maria Stuart Secaf

Sócia e Consultora sênior, atua há mais de 20 anos na gestão em organizações de diversos portes e setores. Ministrou aulas nos cursos de pós graduação da FUPAM, FEA/USP, FGV in Company e ANBIMA. Vera é administradora de empresas com MBA na Fundação Dom Cabral e Kellogg e Master em Governança na Nova Economia pelo GoNew Economy.

More posts by Vera Maria Stuart Secaf

Comentários no Facebook