Processos

Mapeamento de processos empresariais em startups: como defini-los?

By 26 de agosto de 2016 No Comments
Mapeamento de processos empresariais

Compartilhe isso!

Quando falamos em mapeamento de processos empresariais, muitas startups não dão atenção ao assunto por acharem que isso só é necessário para grandes empresas e que para elas não traz nenhuma contribuição efetiva.

Porém, esse é um grande engano, que pode retardar o crescimento e desenvolvimento do negócio de quem investiu em uma startup.

Primeiro é preciso entender que os processos se referem à forma como a empresa realiza as suas atividades e que mapeá-los só deixará mais claro como cada uma das tarefas é desenvolvida.

Dessa forma, pode-se saber de que maneira se está operando e como isso poderia ser melhorado, aumentando a produtividade e eliminando as etapas desnecessárias, que geram custos extras.

Veja então como fazer o mapeamento de processos empresariais nesse artigo!

Como fazer o mapeamento de processos empresariais

1- Aprendendo a definir os processos empresariais

A primeira coisa que devemos entender é que, ao fazer o mapeamento de processos empresariais, nem sempre o que é planejado é o que ocorre na prática e, é justamente por conta dessa divergência que o mapeamento de processos se torna tão importante.

Não é necessário definir todos os processos da empresa, porém aqueles que apresentam maior grau de criticidade ou que são mais importantes não podem ficar de fora.

Uma forma de fazer isso é estabelecendo graus de prioridades para as tarefas.

2- Mapeando os processos

Quando se faz o mapeamento de um processo é preciso entender qual o objetivo dele, ou seja, porque aquele processo existe. Há os processos principais e ainda os que dão suporte a esses, os de apoio.

Para que fique mais claro, imagine que estamos falando de uma fábrica. O processo principal será a produção em si, incluindo as etapas que a matéria-prima passa e as atividades envolvidas para que se tenha o produto final.

Neste caso, fazem parte dos processos de apoio todos os processos administrativos, financeiros e pessoais da fábrica, pois, caso eles não sejam realizados corretamente, o processo principal pode não ocorrer, pois não havendo, por exemplo, a compra da matéria-prima, como poderemos ter material para a produção?

É possível que hajam diversos processos principais e de apoio em uma mesma empresa e, para que fique mais fácil detalhá-los é sempre indicado pensar por área.

3- Definido estratégias empresariais

É importante utilizar o mapeamento dos processos empresariais para definir as estratégias empresariais de forma que todos os colaboradores entendam como devem trabalhar para que as metas sejam atingidas.

Uma das maneiras mais eficazes de fazer o mapeamento de processos é contando com uma empresa de consultoria, pois são muitos os detalhes envolvidos e um empreendedor, geralmente, já acumula muitas tarefas no dia a dia. Com ajuda profissional, é possível otimizar os processos, reduzindo os custos do seu negócio.

Feito isso, você deve estar sempre atento para saber se está atingindo os resultados esperados.

4- Eficiência do processo

Uma forma de verificar se o processo está sendo eficiente é medir o seu desempenho. É possível usar gráficos e análise de resultados para isso, desde que as metas estejam bem estabelecidas.

Quando há processos bem desenhados, fica mais fácil todas as áreas trabalharem porque se entende bem o fluxo de trabalho, eliminam-se processos desnecessários e melhora-se a produtividade, já que as pessoas também se unem para um único objetivo.

Como resultado do mapeamento de processos empresariais, encontram-se as melhores formas de produzir mais, percebem-se os pontos a melhorar com mais facilidade e se tem um padrão para trabalhar.

Gostou das dicas de processos empresariais? Então aproveite para ler 4 erros que podem estar atrapalhando o crescimento de sua empresa e fique longe deles!

Vera Maria Stuart Secaf

Author Vera Maria Stuart Secaf

Sócia e Consultora sênior, atua há mais de 20 anos na gestão em organizações de diversos portes e setores. Ministrou aulas nos cursos de pós graduação da FUPAM, FEA/USP, FGV in Company e ANBIMA. Vera é administradora de empresas com MBA na Fundação Dom Cabral e Kellogg e Master em Governança na Nova Economia pelo GoNew Economy.

More posts by Vera Maria Stuart Secaf

Comentários no Facebook