Processos

Indicadores de produtividade: guia definitivo mais 8 exemplos para usar em seu negócio

By 27 de março de 2019 No Comments

Compartilhe isso!

Os indicadores de produtividade servem para mostrar a relação entre o que foi produzido e os recursos utilizados para essa produção, considerando também a qualidade final.

Assim, uma empresa pode ser considerada produtiva quando ela consegue entregar produtos ou serviços utilizando o mínimo possível de recursos sem comprometer a qualidade.

Para que isso ocorra, é fundamental contar com processos bem estruturados e alinhados com os objetivos da organização.

Esses indicadores medem a eficiência de tais processos e servem como um guia para que a empresa se torne mais competitiva.

Confira agora estes 8 exemplos de indicadores de produtividade para você utilizar na sua empresa:

  1. Taxa de conversão
  2. Receita por vendedor
  3. Taxa de turnover
  4. Horas trabalhadas por projeto entregue
  5. Churn rate
  6. Taxa de absenteísmo
  7. Ticket médio
  8. Horas extras X Horas trabalhadas

Veja também um passo a passo para criar, medir, acompanhar e melhorar os indicadores de produtividade nas empresas.

Saiba mais: O que são indicadores de desempenho? Confira 6 e potencialize o seu negócio

Como criar indicadores de produtividade

Para criar indicadores de produtividade é preciso, inicialmente, definir um modelo de indicadores de produtividade.

Isto é: quais KPIs são os mais relevantes para a empresa e como devem ser calculados.

Para isso, definimos um passo a passo prático para você seguir.

Passo a passo para criar indicadores de produtividade

Não tem como criar indicadores de produtividade sem dar um passo de cada vez, de forma bastante organizada e com muito planejamento.

Veja um roteiro que pode ajudá-lo nessa tarefa.

1. Faça um diagnóstico dos processos mais valiosos para seus clientes

Usar indicadores de desempenho em excesso pode ser um tiro no pé. Por quê? Porque é muito difícil acompanhar informações demais. Os indicadores acabam sendo tratados como “um monte de números” e essas valiosas informações se perdem.

Por isso, é importante definir quais são os processos mais importantes da empresa e que merecem ter KPIs relacionados a eles.

Mas como definir quais seriam esses processos? Uma maneira de se fazer isso é analisando quais processos agregam mais valor aos produtos ou serviços da empresa aos olhos dos clientes finais.

Afinal são esses processos que garantem uma margem de lucro adequada para empresa. Assim, quanto mais eficientes forem, gastando menos para entregar cada vez mais valor aos clientes, serão um fator fundamental para o sucesso da empresa.

2. dentro desses processos, que etapas devem ter KPIs definidos?

Definidos quais os processos mais relevantes para empresa, o que medir em cada um deles?

Afinal, os processos são compostos por uma série de etapas. Portanto, de forma semelhante à escolha de quais processos medir por meio de KPIs, também pode-se usar o mesmo raciocínio sobre quais são as etapas do processo mais importantes para criar KPIs ideais.

Por exemplo: no processo de preparação de um bolo em uma confeitaria, talvez seja importante um KPI para medir se há desperdício de materiais, aferindo as quantidades de ingredientes comprados em relação ao que foi realmente usado. Porém, um KPI medindo a satisfação dos clientes, por meio de uma pesquisa, também pode ser relevante.

3. Como medir esses KPIs?

Agora que você já sabe o que os KPIs devem medir, é preciso definir como isso será feito.

Um instrumento de medição será usado? Os dados serão compilados em papel, planilhas eletrônicas ou sistemas? Qual a periodicidade das medições? Existe uma metodologia específica para essa mediação? Qual é essa metodologia? É preciso fazer cálculos para se chegar ao indicador de desempenho? Que cálculos são esses?

Essas são algumas das questões que é preciso responder.

4. Quem será responsável por essa medicão

Outro ponto fundamental é apontar quem serão os responsáveis por fazer as medições, coleta dos dados e compilação das informações nas mídias adequadas para serem acessadas por outros colaboradores

5. Quem fará o acompanhamento?

Normalmente não são as mesmas pessoas que fazem a coleta e o acompanhamento dos KPIs. A coleta é uma atividade operacional, enquanto o acompanhamento é uma atividade gerencial e até mesmo estratégica.

Assim, para cada processo, deve haver um “dono”, responsável por acompanhar os KPIs e reportar essas informações com os níveis estratégicos de gestão.

6. Que ferramentas serão usadas para isso?

Sem dúvida, com a disseminação da transformação digital nas empresas, o uso de softwares online para gerenciar os mais diversos processos se torna cada vez mais comum. E, além disso, mais eficiente.

E não poderia ser diferente com a criação, acompanhamento e gestão de indicadores de desempenho. Assim, é fundamental definir qual ferramentas será usada para isso.

De planilhas eletrônicas até softwares específicas, existem diversas opções.

Conheça mais detalhes sobre uma delas:

Veja também: 10 Ferramentas de gestão de projetos que vão integrar sua equipe e trazer resultados

7. Com será feito compartilhamento dos dados?

Com a escolha da ferramenta, o compartilhamento de dados será feito por meio dela. Mas, em alguns casos, como o de uso de palmilhas, isso não se dá de forma automática.

Por isso, é necessário definir datas para a divulgação dos resultados e como eles serão enviados ou acessados por aqueles que precisam deles para tomarem decisões em suas respectivas áreas de atuação.

8. Como se implementará a melhoria dos indicadores de produtividade

Os indicadores de produtividade são usados para fazer a melhoria contínua dos processos.

Assim, ao analisar os indicadores de desempenho e perceber que os processos não atendem às necessidades da empresa, eles são modificados. São buscadas melhorias para que eles tenham um desempenho melhor.

Da mesma forma, com o passar do tempo e a evolução dos processos nas empresas, os KPIs escolhidos podem se tornar menos relevantes. Assim, eles devem ser sempre analisados e substituídos, se necessários.

Saiba mais: Exemplos de DMAIC: como solucionar problemas e promover a melhoria contínua na organização

Indicadores de produtividade e qualidade são alguns dos mais importantes a serem usados em uma empresa.

Por isso, vale a pena conferir estes posts de nosso blog:

8 exemplos de indicadores de produtividade

Você sabia que existem diferentes tipos de indicadores  de desempenho?

Antes de ver os exemplos de indicadores de produtividade, confira este infográfico:

exemplos de indicadores de produtividade

1 – Taxa de conversão

A taxa de conversão indica a relação entre o total de vendas e o total de leads contactados. Ela costuma ser muito utilizada pelos setores de Marketing e de Vendas.

Quando esse indicador fica em 50% durante determinado período, por exemplo, isso significa que a empresa foi bem sucedida em metade das suas tentativas de fechar negócio.

Veja também: Indicadores de vendas: como medir resultados de forma efetiva

2 – Receita por vendedor

O segundo item da nossa lista de exemplos de indicadores de produtividade mostra o valor médio de receita gerada por cada vendedor.

O cálculo é bem simples: pegue o valor total da receita em determinado período e divida pelo total de vendedores. Quanto maior o resultado, mais produtiva é a sua equipe.

Leia mais: Métricas de vendas para ficar de olho sempre!

3 – Taxa de turnover

A taxa de turnover é um indicador que trata da rotatividade dos colaboradores; ou seja, a relação entre o total de desligamentos e o total de funcionários ativos em um período específico.

Esse indicador pode servir para mensurar a produtividade do departamento de Recursos Humanos em reter esses talentos. Quando o turnover encontra-se elevado, ele pode indicar também problemas de liderança, clima organizacional, valorização, etc.

Veja mais: 3 práticas empresariais que ajudam a diminuir o índice de turnover

4 – Horas trabalhadas por projeto entregue

A intenção desse indicador é medir quanto tanto, em média, é necessário para entregar um projeto, bem como a quantidade de colaboradores necessária.

Quanto menor as horas e a mão-de-obra, maior a produtividade.

Leia também: 7 dicas para aumentar a produtividade no trabalho: perca menos tempo e ganhe mais qualidade

5 – Churn rate

O churn rate mede a quantidade de clientes que desistiram da sua empresa. Se no começo de 2018, por exemplo, o seu negócio contava com 100 clientes e no final esse número cai para 90, o churn rate será calculado da seguinte forma: total de clientes perdidos pelo total de clientes ativos no início do período analisado.

Dessa forma, o resultado do nosso exemplo é 0,1%. O recomendado é que esse valor jamais ultrapasse 7%.

Este post também pode interessar a você: Atração ou retenção de clientes? Aprenda a encontrar o equilíbrio!

6 – Taxa de absenteísmo

A taxa de absenteísmo é um dos mais relevantes exemplos de indicadores de produtividade. Isso porque ela mede a quantidade de faltas, justificadas ou não, que ocorrem em determinado período.

Quanto maior o número de funcionário que não comparecem para trabalhar, menor será a produtividade.

A recomendação é que os gestores investiguem as causas do absenteísmo para, então, estudar medidas capazes de reduzir esse índice.

Confira em nosso blog: Erros na gestão de pessoas: os 7 principais que você não pode cometer

7 – Ticket médio

O ticket médio é um indicador que mensura o valor médio gasto por cada cliente na sua empresa. O cálculo é feito pelo total de vendas realizadas dividido pelo total de clientes.

A partir desse dado, é possível identificar não só os valores gastos pelos clientes, mas também a média gasta com cada vendedor. Assim, fica mais fácil saber quais colaboradores são mais produtivos e contribuem mais para os resultados da empresa.

Conheça mais este indicador: Como reduzir o custo de aquisição do cliente: 5 estratégias para colocar em prática

8 – Horas extras X Horas trabalhadas

Esse indicador de produtividade te ajudará a avaliar se os seus colaboradores estão sendo sobrecarregados nas funções com muitas horas extras, se a capacidade operacional da empresa está em conformidade, se é preciso realocar funcionários ou contratar novos talentos etc.

Quando as horas extras estão muito elevadas, a produtividade pode ser prejudicada.

Veja também: O que é gestão de indicadores: tudo que você precisa saber para ter a performance de seu negócio na palma de sua mão

Ficaram claros os nossos 8 exemplos de indicadores de produtividade? Já sabe quais você vai usar na sua empresa?

Lembre-se de que na hora de implementar esses indicadores, é fundamental olhar para cada processo e para cada departamento, mas sem perder a visão sistêmica do seu negócio. Isso significa que você pode adotar indicadores mais gerais e outros mais específicos, mas sem perder de vista os objetivos da empresa.

Confira em, nosso blog: Como criar indicadores de desempenho para melhorar seus resultados?

Por meio de uma visão sistêmica, valorização das pessoas e uma gestão baseada em fatos, a Setting busca criar valor e entregar resultados.

Assim, ajuda seu negócio a analisar a situação atual para definir os processos que precisam de melhoria e, em seguida, promover sua melhoria e a definição de procedimentos padrão que atendam às necessidades da empresa e entreguem mais valor aos clientes.

Baixe nosso e-book gratuito e descubra como conhecer melhor seu negócio: Por dentro de um diagnóstico empresarial

Vera Maria Stuart Secaf

Author Vera Maria Stuart Secaf

Sócia e Consultora sênior, atua há mais de 20 anos na gestão em organizações de diversos portes e setores. Ministrou aulas nos cursos de pós graduação da FUPAM, FEA/USP, FGV in Company e ANBIMA. Vera é administradora de empresas com MBA na Fundação Dom Cabral e Kellogg e Master em Governança na Nova Economia pelo GoNew Economy.

More posts by Vera Maria Stuart Secaf

Comentários no Facebook