Liderança

Quais os tipos de gestores? Em qual você se classifica?

By 28 de outubro de 2016 No Comments
Tipos de gestores empresariais

Compartilhe isso!

O gestor precisa ser pensado como peça central no bom funcionamento de uma organização. Para que sua função seja exercida de forma eficaz e em sintonia com toda a equipe, é preciso conhecer os tipos de gestores e como eles se portam na rotina das atividades, pois o comportamento dessas figuras afeta diretamente os processos produtivos internos e quais os tipos de gestão empresarial serão empregadas na empresa.

Um gestor está na dianteira de um trabalho complexo que exige orquestrar os interesses da equipe para a manutenção do padrão de produtividade na empresa, mas tão importante quanto, é sua função de liderança na busca por uma relação saudável entre colaboradores. Equilibrar esses dois papéis não é fácil e exige muita dedicação.

Tipos de gestores empresariais

Existem alguns tipos de gestor conhecidos que são facilmente encontrados nas organizações de qualquer área, muitas vezes, exercendo suas atividades sem a consciência de que poderiam fazer um trabalho mais adequado ao ambiente em que atuam.

Confira os tipos de gestores que separamos neste post!

1- O viciado em trabalho

Esse tipo é conhecido por perder a noção entre os limites da vida profissional e da vida pessoal. Exigem que seus colaboradores excedam o horário de trabalho para cumprir tarefas que não foram planejadas a tempo e desejam que todos se dediquem no mesmo ritmo frenético que ele.

O estresse gerado por um gestor como esse desestimula a equipe, que passa a não corresponder às expectativas e demonstrar pouco interesse pelas atividades. Uma boa saída para reverter essa relação difícil está no planejamento empresarial, que estabeleça uma dinâmica própria, na qual tarefas sejam realizadas plenamente no horário de expediente.

Quanto ao perfil do gestor, vale a pena focar na visão de longo prazo sobre o negócio e abandonar a pressa em realizar tarefas que podem se mostrar menos relevantes diante de um olhar mais calmo e apurado.

2- O estritamente técnico

Mesmo que seja importante o domínio de questões técnicas pela gerência para melhor realização das atividades, é importante pensar no ambiente de trabalho como espaço vivo, que exige lidar com pessoas e comportamentos diversos.

O técnico esta entre os tipos de gestores que colocam suas energias de forma desequilibrada nos procedimentos técnicos, exigindo que sejam cumpridos com total fidelidade aos manuais, mas se esquecem de que lidam com capital humano e precisam dosar os imprevistos.

Vale a pena apostar em um olhar mais humanizado para as relações com os colaboradores, dando atenção aos aspectos comportamentais da equipe. Essa atitude ajudará a perceber que podem haver profissionais com habilidades para determinadas tarefas que não foram percebidas ainda pela gerência.

3- O estressado e raivoso

Alguns profissionais, em posição de liderança, resolvem assumir posturas autoritárias para demonstrar que estão no controle da situação. Trata-se de uma estratégia contraprodutiva que levará a um rápido desgaste frente a equipe, podendo resultar em processos trabalhistas no futuro.

Diante de um gestor emocionalmente tenso, a equipe se retrai e passa a exercer tarefas sem qualquer contato com seus superiores, por medo de retaliações. Esse clima organizacional acaba por contribuir para uma diminuição da produtividade e um ambiente pouco saudável para todos.

Nesse caso, apostar na conversa cordial e na discussão respeitosa de ideias é essencial para modificar esse endurecido ambiente de trabalho e torná-lo mais instigante para exercitar a criatividade dos colaboradores.

4- O parcial e exclusivista

Alguns gestores resolvem confundir amizade com relações profissionais frutíferas, o que pode gerar constrangimentos na equipe. É o caso do líder que escolhe alguns de seus subordinados como “protegidos”, impedindo que outros possam mostrar suas habilidades ou mesmo tentar uma ponte para o diálogo.

Deve-se, em situações como essa, buscar a imparcialidade no trato com os colaboradores, mesmo que para isso algumas relações tenham que ser mais formais. Valerá a pena para evitar que alguns sintam-se injustiçados diante de privilégios impróprios.

Você sabia que uma consultoria em gestão empresarial pode ajudar a refletir sobre as melhores formas de administrar o seu negócio? Confira no nosso post!
[E-book] O que esperar de uma consultoria em gestão e como escolher o parceiro certo

A definição dos tipos de gestores pode ser bastante complexa, veja mais dicas sobre este assunto nesta postagem de nosso blog: A influência do líder na relação entre liderança e motivação

Jorge Secaf Neto

Author Jorge Secaf Neto

Sócio fundador da Setting Consultoria e Gestão Empresarial e Conselheiro Certificado IBGC, atua como Conselheiro, Consultor Sênior ou assume responsabilidade executiva (interim manager) em organizações que buscam transformação. Graduado em engenharia civil (Mackenzie), pós-graduado em engenharia de produção (Politécnica), possui formação executiva por meio de cursos de longa duração em instituições de renome no Brasil e no exterior (Fundação Dom Cabral; Kellogg; INSEAD; Harvard). Atuou como examinador do Prêmio Nacional da Qualidade por 10 ciclos e tem seus principais interesses acadêmicos e profissionais vinculados à educação executiva e à busca pela excelência em governança e gestão organizacional.

More posts by Jorge Secaf Neto

Comentários no Facebook