Inovação

Qual a importância dos serviços financeiros digitais para as empresas?

By 11 de setembro de 2020 No Comments

Compartilhe isso!

Os serviços financeiros digitais deixaram de ser exclusividade dos bancos e instituições financeiras e passaram a integrar o portfólio de diversos negócios, ainda que não façam parte diretamente desse setor.

Entre os motivos que estão impulsionando esse movimento foi a percepção que integrar produtos financeiros às soluções da empresa é uma maneira de atender pontualmente as necessidades dos clientes e, ao mesmo tempo, gerar uma nova fonte de receita para o negócio.

Nesse trajeto, outros benefícios são percebidos, como a oportunidade de aumentar as taxas de fidelização, de atração e um poder de competitividade empresarial maior.

Uber e iFood são apenas dois bons exemplos de empresas que passaram a oferecer serviços financeiros digitais sem desviarem do seu core business.

Mas como fazer isso e transformar a sua empresa em uma instituição de pagamento sem deixar de lado o foco do seu negócio? É isso que vamos esclarecer agora!

Por que a sua empresa deve oferecer serviços financeiros digitais? 

São vários os motivos que justificam a oferta de serviços financeiros digitais por empresas que não atuam diretamente nesse setor.

Podemos começar citando que, trabalhar com produtos e serviços financeiros próprios é uma maneira de resolver mais um problema dos seus clientes, e de uma forma pontual e personalizada.

Conhecer profundamente o seu nicho de atuação e as dores do público lhe dá uma vantagem que os grandes bancos e demais instituições não têm: a de criar soluções financeiras que realmente supram suas necessidades.

O iFood, por exemplo, é líder no ramo de delivery de alimentos e, ainda assim, criou suas próprias maquininhas de cartão com o auxílio da Zoop.

A solução resolveu o problema de logística dos seus parceiros, visto que o entregador não precisa mais retornar a cada estabelecimento, ao fim da entrega, para devolver o equipamento.

Consequentemente, a conciliação bancária também se tornou mais dinâmica, rápida e precisa. 

E no que diz respeito aos serviços financeiros digitais propriamente ditos, o iFood oferece aos seus parceiros de negócios conta digital (que leva a marca de empresa) e QR Code como mais uma opção de pagamento aos clientes finais.

Quais as vantagens de agregar serviços digitais ao seu negócio?

Trabalhar com serviços financeiros digitais também é uma maneira de atender ao novo comportamento do consumidor.

Pesquisas apontam que os pagamentos digitais já representam mais de 43% do consumo das famílias brasileiras.

Os celulares são a opção preferida de 75% dos consumidores que realizam compras on-line e, consequentemente, precisam de soluções de pagamento on-line para finalizarem suas aquisições. 

O uso cada vez maior dos smartphones também fez com que o Mobile Banking ganhasse mais espaço.

De acordo com a FEBRABAN, Federação Brasileira de Bancos, as transações realizadas utilizando os bancos via aplicativo tiveram crescimento de 19% em 2019 (39,4 bilhões de operações) e tem se tornado também um dos principais canais para contratação de produtos e serviços.

E já que o assunto é o comportamento do consumidor, não podemos deixar de destacar o pagamento por aproximação que, na lista dos serviços financeiros digitais, foi evidenciado pela pandemia do novo coronavírus. 

O atual cenário mudou a relação das pessoas com os meios de pagamento. O receio de um possível contágio incentivou 69% dos brasileiros a utilizarem essa solução — ressaltando que 75% afirmam que continuarão usando o contactless mesmo quando esse período acabar.

Ou seja, o atendimento dessas necessidades é uma das vantagens de quem oferece serviços financeiros digitais aos seus parceiros de negócios. Além disso, também contribui para:

  • agilizar o processo de pagamento, melhorando a experiência do cliente;;
  • gerar uma nova fonte de receita para o negócio;
  • aumentar as taxas de retenção;
  • atrair novos clientes;
  • acrescentar novas soluções ao portfólio da empresa;
  • aumentar seu poder de competitividade;
  • gerar novas oportunidades de negócios;
  • contribuir para o processo de digitalização do dinheiro.

Sobre esse último tópico, entenda melhor ouvindo este podcast do Papo na Nuvem:

https://open.spotify.com/episode/0MSihkoHG4xJXvAJZvmjOc?si=qRxj2MYXS4CnIcEbzgXw9w 

O que é preciso para trabalhar com serviços financeiros digitais?

Hoje, qualquer empresa, de qualquer segmento, pode criar seu próprio banco digital. Com isso, passa a entregar serviços financeiros digitais personalizados aos seus parceiros de negócios, tais como:

  • conta digital;
  • cartão de crédito;
  • cartão de débito;
  • pagamentos;
  • transferências etc

Mas ainda que o processo para isso esteja bastante facilitado, um dos desafios está em lidar com as normas e regulamentações que envolvem esse mercado.

Uma forma de resolver essa questão é contar com um bom parceiro que entregue todas as soluções prontas e regulamentadas, a exemplo das fintechs que trabalham com Banking as a Service.

Banking as a Service

O Banking as a Service, ou BaaS, é uma solução que permite que qualquer empresa, independentemente do seu ramo de atuação, passe a oferecer aos seus clientes e parceiros de negócios serviços financeiros digitais.

Com o BaaS é possível criar produtos com a sua marca, e ainda escolher somente aqueles que realmente atendam às suas necessidades e as do seu público.

A integração dos produtos é feito por meio de APIs, que são um conjunto de instruções de programação, de maneira fácil, rápida e sem que você precise se preocupar com desenvolvimento ou regulamentações.

Motivos para trabalhar com Banking as a Service

O número de bancos digitais aumentou 147% entre 2017 e 2018. Parte disso se deve à oferta de produtos financeiros mais baratos, acessíveis e desburocratizados.

Uma pesquisa realizada pelo Google mostrou que, apesar de 46% dos entrevistados afirmarem que ainda utilizam as instituições financeiras tradicionais, somente 4 a cada 10 (42%) estão satisfeitos com as soluções recebidas.

Porém, isso não acontece com os clientes das fintechs, dos quais 7 a cada 10 (71%) se mostram satisfeitos com os serviços financeiros digitais disponibilizados.

Trazendo esse olhar para os seus parceiros de negócios, agregar produtos financeiros às soluções oferecidas pela sua empresa é uma maneira de satisfazer as necessidades do seu cliente de forma mais efetiva.

Além disso, é preciso considerar que, quando um cliente consegue resolver todos os seus problemas em um único lugar (no caso, com a sua empresa), dificilmente buscará concorrentes para atender suas demandas.

Isso gera uma “dependência” do seu negócio, fazendo com que o crescimento desse cliente fique atrelado à sua empresa. Ou seja, quanto mais completa for a sua cartela de produtos e serviços, mais e melhores resultados trará para todos os envolvidos.

Mas para tudo isso, é imprescindível encontrar parceiros confiáveis que vão inserir a sua empresa no mercado financeiro de forma concreta e segura, tanto para você quanto para os seus clientes.

Assim, conseguirá inovar e, ao mesmo tempo, entregar produtos financeiros atuais e com a mesma qualidade de qualquer banco tradicional.

Este artigo foi escrito por Rafael Lavezzo, Chief Revenue Officer da Zoop, fintech líder em tecnologia para serviços financeiros.

Jorge Secaf Neto

Author Jorge Secaf Neto

Sócio fundador da Setting e Conselheiro Certificado IBGC, atua como Conselheiro, Consultor Sênior ou assume responsabilidade executiva (interim manager) em organizações que buscam transformação. Graduado em engenharia civil (Mackenzie), pós-graduado em engenharia de produção (Politécnica), possui formação executiva por meio de cursos de longa duração em instituições de renome no Brasil e no exterior (Fundação Dom Cabral; Kellogg; INSEAD; Harvard). Atuou como examinador do Prêmio Nacional da Qualidade por 10 ciclos e tem seus principais interesses acadêmicos e profissionais vinculados à educação executiva e à busca pela excelência em governança e gestão organizacional.

More posts by Jorge Secaf Neto

Comentários no Facebook