Gestão Empresarial

Das ideias aos unicórnios: um guia completo com tudo sobre startup que você precisa saber

By 29 de janeiro de 2019 No Comments
Tudo sobre Startup

Em inglês, startup. Passando para o português, indica uma ação: comece. Mas, começar o quê?

Bem, que comece por uma ideia. É assim que há décadas pequenos empreendedores vêm se superando e transformando seus pensamentos em soluções inovadoras para diferentes públicos.

O espírito de liderança, a vontade de se diferenciar e colocar uma ideia no mercado, mesmo que este seja incerto e cheio de mudanças, é o que muitas vezes pauta o início de uma startup.

Os resultados podem ser surpreendentes e são eles que vêm inspirando inúmeras pessoas pelo Brasil e pelo mundo.

Tudo sobre startup: começando pelo cenário no Brasil

De acordo com levantamentos da Associação Brasileira de Startups (ABStartups), a estimativa é que haja pelo menos 62 mil empreendedores e 6 mil startups somente no Brasil. Se considerarmos aquelas ainda na fase inicial, mesmo sem CNPJ, o número de startups ultrapassa 10 mil.

Veja mais dados da ABStartups:

Tudo sobre startup

Tudo sobre startup: Perfil

Tudo sobre startup

Tudo sobre startup: Estratégia

Conforme indica o StartupBase, maior base de dados de startups brasileiras, quase 50% delas são voltadas ao mercado de B2B. Outro dado interessante da ABStartups é de que 72% são lideradas por pessoas entre 25 e 40 anos de idade. Em relação aos segmentos que mais exploram, educação, agronegócio, finanças, comunicação, comércio on-line, saúde, mobilidade urbana, entretenimento e turismo ficam no topo da lista.

Este modelo, apesar de famoso nos Estados Unidos desde os anos 90, vem ganhando força em nosso país ao longo desses últimos anos. O aumento de startups foi de mais de 104% em apenas cinco anos. Em 2012, o número de startups cadastradas era de 2.519, chegando a 5 mil em 2017.

Mas, afinal, o que é uma startup? Como lidar com essa grande tendência, considerando que o número de startups no Brasil aumenta pelo menos 20% todos os anos?

Que tal entender tudo sobre startup? Conheça as diferenças entre este modelo de negócio e as empresas tradicionais, exemplos de startups e como encarar este universo de frente e se destacar!

Veja também: 5 exemplos de startups que estão revolucionando o mercado!

O que é uma startup?

Vamos explicar o que é uma startup, iniciando por quando o termo começou a ser utilizado, lá nos anos 90. Foi quando inúmeras empresas de tecnologia começaram a surgir no Vale do Silício, na Califórnia (EUA). Região, aliás, onde tudo começou para gigantes como Google, Apple e Microsoft.

A popularização da palavra “startup” chegou, portanto, junto com ideias novas e promissoras de vários empreendedores que se arriscavam para torná-las lucrativas e sustentáveis. E assim se sucediam. O período marcou o primeiro movimento conhecido como “Internet Bubble” – na tradução, a bolha da internet.

Ok, mas o que é uma startup de fato, o que significa ter uma startup nos dias de hoje? Então vamos lá conhecer tudo sobre startup!

Uma startup é uma empresa, primeiramente, iniciante no mercado. Para ganhar seu espaço, trabalha em cima de uma ideia inovadora que possa gerar valor para inúmeras pessoas. Isto é, o modelo de negócio deve ser repetível e escalável.

Ou seja, que possa ser facilmente replicado e possível de crescer sem que os custos aumentem proporcionalmente. Uma das principais características da startup é este contraste entre o baixo custo e alto potencial de crescimento.

A intenção é que o modelo atinja e beneficie vários clientes, ao mesmo tempo em que traga um retorno lucrativo sem precisar arcar com grandes investimentos para isso. O diferencial, aqui, são as ideias, que podem rapidamente acelerar o progresso da startup.

Quer entender ainda melhor o que é uma startup? Então, acompanhe este vídeo da StartupBase:

O que difere startups de empresas convencionais?

Existem, claro, algumas características que diferem uma startup de uma empresa convencional. Entenda tudo sobre startup com os destaques abaixo!

Primeiramente, as startups estão sempre ligadas em inovações, tanto para seu produto/serviço, quanto na busca pelas melhores maneiras de entregá-los ou mesmo de se comunicar com o público e trabalhar internamente.

É por isso que quase sempre utilizam alguma tecnologia.

A grande diferença é que, ao invés de tentarem algo que já foi testado e aceito no mercado para buscar o sucesso, elas resolvem se diferenciar de verdade. O estudo é com base em seu próprio produto ou serviço, que deve ser o mais inovador possível.

Quanto mais disruptiva a ideia, mais chances de que cresça em uma velocidade acelerada. E, afinal, a escalabilidade é um dos princípios básicos que as diferem. Não importa os riscos que corra e as incertezas que tenha, a ideia é não sossegar até que a solução seja de fato vista e reconhecida.

Persistir ou pivotar?

É claro que, além da persistência, é preciso ter o feeling para saber a hora de tentar algo novo. Muitas startups precisam pivotar até encontrar a melhor forma de entregar a sua solução. Transformação e adaptação às mudanças são imprescindíveis, coisa que muita empresa hoje em dia se nega para não sair de sua zona de conforto.

Veja aqui: O que é pivotar startup: conheça cases e dicas de sucesso

As startups, por fim, se diferenciam porque possibilitam a criação de uma identidade verdadeiramente própria. Afinal, criar algo novo significa não copiar processos existentes, mas realizar testes e moldar a solução até que um novo processo seja criado.

Apesar de suas diferenças, as startups precisam estar atentas ao mercado tanto quanto empresas convencionais. E, mais do que tudo, precisam ter planejamento, assim como objetivos e metas reais para alcançar.

Quer ser dono de startup? Talvez isso signifique equilibrar o seu lado sonhador com o realista ao mesmo tempo. Conhecer os tipos de startups pode te ajudar a entender em qual caminho você está.

Neste infográfico, você pode entender de forma esquemática o que são startups:

tudo sobre startup

Fonte: Siteware

Saiba mais: 7 dicas para fazer uma boa gestão de startups

Tipos e exemplos de startups

Você, que quer saber tudo sobre startups, precisa estar ciente de que não existe um tipo único para seguir. Ao mesmo tempo em que você pode desenvolver uma ideia que se transforme em um serviço ou produto para um consumidor final, pode pensar em vender essa ideia para outras startups.

Existem basicamente 6 tipos de startups:

1- Small Business Startup

Criada por um pequeno empreendedor, que usa suas economias para abrir um negócio, muitas vezes familiar, com poucos funcionários e sem muita ambição para crescer.

2- Scalable Startup

Empresa mais escalável, que vive de capital de risco e pretende despertar interesse de importantes investidores. Com o investimento certo, costuma expandir rapidamente.

3- Large Company Startup

Apesar de já ter se estabelecido, pensa em inovações e aprimoramentos constantes, sempre focando em ser única em seu segmento.

4- Lifestyle Startup

Motivada por uma paixão do dono, que, ao pensar em ideias para melhorar seu próprio estilo de vida, geralmente consegue extrair algo único para perfis semelhantes ao seu.

5- Buyable Startup

Já nasce com a intenção de ser vendida para empresas maiores do mesmo setor, chamando a atenção de investidores de alto risco.

6- Social Startup

Tem o propósito de fazer a diferença no mundo, de oferecer algo positivo para a sociedade, ficando o lucro em segundo plano.

Você pode ver mais detalhes sobre cada um desses tipos de startups em nosso texto especial sobre o assunto. E também neste infográfico exclusivo, que resume os 6 principais tipos de startup:

tudo sobre startup

Mas, em resumo, os exemplos de startups vêm desde aquelas “Lifestyles”, como um esportista apaixonado por Stand Up Paddle que cria um ponto na praia para ensinar outros esportistas, ou até mesmo um aplicativo para ajudá-los; passa pelas “Larges Companies”, como a Apple, acompanhando mudanças e se transformando ao longo dos anos; chegando às “Scalables”, como um Facebook ou Skype, que conquistaram retornos bilionários.

Confira em nosso blog: Mapeamento de processos empresariais em startups: como defini-los?

Unicórnios: as startups bilionárias

Vale destacar que as startups brasileiras começaram a ganhar força no século 21, principalmente após 2010. Muito disso se deve a investidores anjo. Capitalistas que estudam as startups mais promissoras do mercado e investem nessas startups para que cresçam mais rapidamente. Em troca, detêm parte de suas ações.

Mas foi somente em 2018 que o Brasil se destacou com seus primeiros “unicórnios”. O termo é uma curiosidade entre tudo sobre startup que você precisa saber, uma vez que é utilizado para descrever aquelas startups que valem mais de 1 bilhão de dólares.

Exemplos claros aqui no país foram as empresas 99 e Nubank, com seus aplicativos inovadores para mobilidade e finanças. Ambas startups utilizaram a tecnologia para transformar a usabilidade de usuários com modelos escaláveis de negócio.

Existem também outras empresas conhecidas que passaram a ser chamadas de “decacorn” – quando superam o valor de US$ 10 bilhões. O Uber, também de transporte, e o Airbnb, de hospedagem, são alguns dos exemplos mundiais de startups que aceleraram rapidamente com suas ideias.

Confira neste vídeo mais alguns exemplos de startups que podem se tornar unicórnio no Brasil:

Como acontecem os investimentos para startups?

Geralmente, as startups que alavancam rapidamente são beneficiadas com o capital de alguma outra empresa interessada em sua solução.

Tanto o modelo de negócio quanto a ideia são essenciais para levar a startup por este caminho, mas é preciso conhecer um pouco mais sobre essas investidoras. Afinal, talvez você precise atrai-las para lançar o seu serviço ou produto com o investimento que idealiza.

As formas mais tradicionais de investimentos para startups são por meio de incubadoras ou aceleradoras. Entenda cada uma delas:

Incubadoras

As incubadoras costumam estar vinculadas a universidades e podem auxiliar as pequenas empresas nas primeiras etapas do negócio. Ou seja, em seu desenvolvimento. Geralmente com diretrizes do governo e por meio de investimentos públicos, o processo de incubação pode auxiliar com técnicas ou áreas como marketing, assessoria ou mesmo para a elaboração do plano de negócio. Nem sempre é a melhor opção para startups.

Aceleradoras

Já as aceleradoras focam mais nas startups, que têm grande potencial para crescer rapidamente. Neste caso, elas não só auxiliam, como tornam-se sócias das startups. Aqui, sim, há o aporte de capital, geralmente privado e com participação na empresa. É comum que ofereçam até mesmo espaços, além de contatos importantes para fortalecer o negócio.

Startup: um desafio que vale a pena

Como você pôde ver, o conteúdo reuniu um pouco de tudo sobre startup que você precisava conhecer. Agora chegando ao seu último passo: entender como um desafio que realmente vale a pena.

É preciso ter em mente que criar uma startup e desenvolver ideias está longe de ser algo fácil. Os sucessos podem ser incríveis, mas você precisará ter muita persistência até chegar lá.

O ambiente sempre será competitivo e incerto, portanto os grandes desafios estarão em acompanhar e atender diferentes demandas do mercado.

O conselho que te damos? Acredite. Persista. Comece (Startup)!

Pronto (a) para colocar tudo sobre startup que aprendeu na prática?

Se gostou do conteúdo, não esqueça de compartilhar com outros empreendedores como você! Quem sabe troquem dicas que levem à criação de novas ideias para um negócio inovador. Ficamos na torcida!

Leia também: Saiba porque um startup Cap Table pode salvar esse tipo de empresa

A Setting é uma empresa de consultoria empresarial focada em crescimento e resultados. Independentemente do tamanho ou maturidade do seu negócio, está plenamente capacitada a auxiliar sua empresa a atingir grandes resultados.

Baixe nosso e-book gratuito e faça o planejamento estratégico do seu negócio, seja ele uma startup ou não: Planejamento Estratégico

Jorge Secaf Neto

Author Jorge Secaf Neto

Sócio fundador da Setting Consultoria e Gestão Empresarial e Conselheiro Certificado IBGC, atua como Conselheiro, Consultor Sênior ou assume responsabilidade executiva (interim manager) em organizações que buscam transformação. Graduado em engenharia civil (Mackenzie), pós-graduado em engenharia de produção (Politécnica), possui formação executiva por meio de cursos de longa duração em instituições de renome no Brasil e no exterior (Fundação Dom Cabral; Kellogg; INSEAD; Harvard). Atuou como examinador do Prêmio Nacional da Qualidade por 10 ciclos e tem seus principais interesses acadêmicos e profissionais vinculados à educação executiva e à busca pela excelência em governança e gestão organizacional.

More posts by Jorge Secaf Neto

Comentários no Facebook