Gestão Empresarial

Empresa de pequeno, médio e grande porte: entenda as diferenças de classificação

By 29 de outubro de 2019 No Comments
Empresa de pequeno médio e grande porte

Compartilhe isso!

Você sabe a diferença entre empresa de pequeno, médio e grande porte?

Se você pretende enfrentar os desafios do empreendedorismo e abrir um negócio próprio, é importante conhecer essa classificação.

No Brasil, são adotados alguns critérios para fazer essa diferenciação, a qual é importante para fins de incentivos e benefícios previstos em Lei.

Neste artigo, vamos esclarecer esses critérios de acordo com a perspectiva dos principais órgãos governamentais.

Continue a leitura e saiba em que porte a sua empresa se enquadra.

Este post pode interessar a você: Visão sistêmica da empresa: O que é? Por que é importante? Quais os benefícios? Como colocar em prática?

O que é o porte de uma empresa?

Antes de falarmos sobre o que é considerado empresa de pequeno, médio e grande porte, é importante revisitarmos o significado de porte no contexto organizacional.

O termo “porte” é utilizado para categorizar o tamanho de uma empresa. A partir dessa classificação, é possível avaliar o potencial econômico da organização.

Além disso, de acordo com o porte da empresa, é possível usufruir de incentivos fiscais e outros benefícios previstos na legislação brasileira.

Leia também: Dinamismo empresarial e produtividade: entenda porque eles estão relacionados

Como definir empresa de pequeno, médio e grande porte?

Não existe um consenso no que diz respeito à definição de empresa de pequeno, médio e grande porte. Na verdade, diferentes órgãos governamentais possuem seus próprios critérios de classificação, mas que basicamente se resumem a dois fatores: faturamento anual e quantidade de funcionários

Confira a seguir como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) definem o porte de uma empresa.

IBGE

O critério utilizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística para definir o porte de uma empresa é o número de funcionários que ela possui.

Dessa forma, tem-se a seguinte classificação:

Indústrias

  • Microempresa: até 19 colaboradores;
  • Empresa de pequeno porte: de 20 a 99 colaboradores;
  • Empresa de médio porte: de 100 a 499 colaboradores;
  • Empresa de grande porte: acima de 500 colaboradores.

Comércio e prestação de serviços

  • Microempresa: até 9 colaboradores;
  • Empresa de pequeno porte: de 10 a 49 colaboradores;
  • Empresa de médio porte: de 50 a 99 colaboradores;
  • Empresa de grande porte: acima de 100 colaboradores.

ANVISA

Já o critério adotado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária é o faturamento anual. De acordo com o órgão regulador, o porte de uma empresa é definido de acordo com a Lei Complementar nº 139/2011 e com a Medida Provisória nº 2.190-34/2001.

  • Empresa de grande porte (Grupo I): faturamento anual superior a R$ 50 mi;
  • Empresa de grande porte (Grupo II): faturamento anual > R$ 20 mi e < R$ 50mi;
  • Empresa de médio porte (Grupo III): faturamento anual > R$ 6 mi e < R$ 20 mi;
  • Empresa de médio porte (Grupo IV): faturamento anual igual ou inferior a R$ 6 mi;
  • Empresa de pequeno porte (EPP): faturamento anual > R$ 360 mil e < R$ 4.8 mi;
  • Microempresa: faturamento anual igual ou inferior a R$ 360 mil.

BNDES

Assim como a ANVISA, o Banco Nacional do Desenvolvimento também estabelece o faturamento anual como critério. De acordo com o BNDES, a classificação é a seguinte:

  • Microempresa: faturamento anual inferior ou igual a R$ 360 mil;
  • Empresa de pequeno porte: faturamento anual > R$ 360 mil e < ou = a R$ 4,8 mi;
  • Empresa de médio porte: faturamento anual > R$ 4,8 mi e < ou = a R$ 300 mi;
  • Empresa de grande porte: faturamento anual > R$ 300 mi.

Veja também: Competitividade empresarial: o que é e 5 dicas para tornar o seu negócio mais competitivo

A Legislação Brasileira

Para fins tributários e demais benefícios, o Brasil conta com uma legislação que normatiza o porte das empresas de acordo com o faturamento anual.

A Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas (Lei Complementar 123/2006), por exemplo, prevê tratamento simplificado, diferenciado e favorecido às MPE nos aspectos previdenciários, trabalhistas, creditícios e de desenvolvimento empresarial.

A Lei considera o faturamento anual bruto da matriz e, se for o caso, das filiais. Dessa forma, temos a seguinte classificação:

  • Microempreendedor individual (MEI): faturamento anual de até R$ 81 mil;
  • Microempresa (ME): faturamento anual de até R$ 360 mil;
  • Empresa de pequeno porte (EPP): faturamento anual de até R$ 4,8 mi e até 100 funcionários;
  • Empresa sem enquadramento: este caso acontece quando a empresa tem mais de 100 funcionários e fatura mais de R$ 4,8 mi por ano.

Ficou claro como se classifica uma empresa de pequeno, médio e grande porte? Em qual classificação o seu negócio se enquadra?

Veja me nosso blog: Gestão administrativa empreendedora: 5 dicas de como implementar na sua empresa e impulsionar resultados

Ainda tem dúvidas sobre a classificacão das empresas, quanto a seu porte? Então, confira este vídeo so SEBRAE:

A Setting é um consultoria de gestão com foco em resultados, independentemente do porte do sue negócio, assim, está sempre preparada para oferecer as melhores soluções para sua empresa.

E o primeiro passo para nessa direção é fazer um diagnóstico, por isso, baixe nosso e-book gratuito e domine esse tema: Por dentro do diagnóstico empresarial

Jorge Secaf Neto

Author Jorge Secaf Neto

Sócio fundador da Setting Consultoria e Gestão Empresarial e Conselheiro Certificado IBGC, atua como Conselheiro, Consultor Sênior ou assume responsabilidade executiva (interim manager) em organizações que buscam transformação. Graduado em engenharia civil (Mackenzie), pós-graduado em engenharia de produção (Politécnica), possui formação executiva por meio de cursos de longa duração em instituições de renome no Brasil e no exterior (Fundação Dom Cabral; Kellogg; INSEAD; Harvard). Atuou como examinador do Prêmio Nacional da Qualidade por 10 ciclos e tem seus principais interesses acadêmicos e profissionais vinculados à educação executiva e à busca pela excelência em governança e gestão organizacional.

More posts by Jorge Secaf Neto

Comentários no Facebook