Gestão Empresarial

Cultura organizacional: por que devo conhecer a da minha empresa?

By 28 de março de 2016 No Comments
cultura organizacional

Compartilhe isso!

A cultura organizacional é um sistema de valores compartilhados pelos membros de uma organização. Ela é o que diferencia uma empresa das demais. Em outras palavras, é o conjunto de características valorizadas pela organização, compartilhadas e utilizadas por ela para atingir seus objetivos e manter-se viva.

Você já parou para pensar na cultura organizacional do seu negócio? É sobre isso que conversaremos neste post. Aqui você entenderá por que é importante conhecê-la e também como ela influencia no planejamento e no dia a dia da empresa. Acompanhe!

Por que conhecer a cultura organizacional da minha empresa?

O conhecimento da cultura organizacional permite melhor compreensão das relações de poder, regras estabelecidas (documentadas ou não), interesses de determinados grupos, comportamentos etc.

E isso é importante, pois cada empesa tem sua própria cultura. Diariamente, todos os indivíduos envolvidos com ela (direção, colaboradores, clientes, fornecedores etc.) estão expostos a ela em graus diferentes. De qualquer forma, os valores, as crenças, os costumes, são compreendidos e influenciam os comportamentos das pessoas e, como consequência, a forma com que a empresa se organiza.

Em outras palavras, é preciso que a liderança da empresa saiba reconhecer como os processos e estruturas visíveis e invisíveis moldam o comportamento dos indivíduos, pois eles estão diretamente ligados ao funcionamento do negócio e à imagem que a sociedade percebe.

E como identificá-la?

Mesmo sem planejar, toda empresa já nasce com uma cultura. Com o passar do tempo, essa cultura vai se ajustando e se acomodando às situações do dia a dia corporativo. A seguir, veja algumas características que podem ajudar a identificar a cultura organizacional do seu negócio:

  1. Inovação e capacidade de assumir riscos (se a empresa está sempre em busca de inovar ou tende a ser mais conservadora);
  2. Orientação para resultados (o grau de foco nos resultados acima dos processos);
  3. Orientação para as equipes (o grau de colaboratividade entre colegas, departamentos, filiais etc.);
  4. Competitividade e agressividade (o quanto as pessoas são cordiais ou não umas com as outras);
  5. Estabilidade do negócio (manutenção do status quo diante do crescimento);

Como a cultura organizacional influencia no planejamento e no dia a dia do negócio?

A cultura organizacional também é uma forma de proteção que evolui a partir de pressões situacionais. Ela impede que o “pensamento errado” e “pessoas erradas” dirijam o negócio. Em outras palavras, funciona como uma espécie de “sistema imunológico”, prevenindo danos à organização como um todo. O problema, claro, é que o sistema imunológico também pode atacar este organismo vivo que é a empresa, especialmente quando se trata de realizar mudanças — a cultura, neste caso, é sinônimo de resistência e precisa ser alterada ou modificada para que não impeça o avanço do negócio.

Na hora de planejar modificações, melhorias, inserção de novos modelos de negócio etc., é preciso considerar a cultura organizacional. Isso porque não é possível implementar mudanças à força sem enfrentar sérias dificuldades. Conhecendo a cultura interna, é possível aproveitar pontos de flexibilidade e adaptabilidade ou então criar uma estratégia de gestão da mudança que contorne as resistências e facilitem a execução do plano de ação.

Você conhece a cultura organizacional da sua empresa? Deixe um comentário e confira também o nosso post sobre por que sua empresa deve criar um setor de RH!

Vera Maria Stuart Secaf

Author Vera Maria Stuart Secaf

Sócia e Consultora sênior, atua há mais de 20 anos na gestão em organizações de diversos portes e setores. Ministrou aulas nos cursos de pós graduação da FUPAM, FEA/USP, FGV in Company e ANBIMA. Vera é administradora de empresas com MBA na Fundação Dom Cabral e Kellogg e Master em Governança na Nova Economia pelo GoNew Economy.

More posts by Vera Maria Stuart Secaf

Comentários no Facebook