Gestão Empresarial

Como reduzir o custo de aquisição do cliente: 5 estratégias para colocar em prática

Como reduzir o custo de aquisição do cliente

Compartilhe isso!

É bem provável que você saiba quantos novos clientes conquistou no mês passado. Além disso, dando uma olhada em planilhas ou softwares de gestão financeira, você também descobrirá rapidamente quanto faturou com esses clientes.

Mas quanto custou para conseguir conquistar esses clientes? Você, sabe?

O Custo de Aquisição de Clientes (CAC) é um indicador de desempenho que se refere ao valor, em média, que uma empresa precisa investir em suas estratégias de marketing para adquirir um novo cliente.

O ideal é que a empresa consiga manter seu CAC o mais baixo possível. Mas como isso pode ser realizado?

Continue a leitura deste artigo para conferir estas 5 dicas como reduzir o custo de aquisição do cliente e aumentar a lucratividade do seu negócio:

  1. Defina a sua buyer persona
  2. Invista em marketing de conteúdo
  3. Faça com que seus clientes atuais sejam promotores da sua marca
  4. Mantenha os departamento de marketing e de vendas alinhados
  5. Estabeleça suas metas

Leia também: Gestão de custos e formação de preços: o que é, importância, ferramentas e exemplos

Você conhece o conceito do CAC? Então, veja estas dicas do professor Eduardo Terra:

5 estratégias de como reduzir o custo de aquisição do cliente

É importante ter muito cuidado ao reduzir o custo de aquisição de clientes.

Por quê?

Porque se esse custo for reduzido excessivamente pode afetar a eficácia na capitação de clientes, diminuindo a lucratividade da empresa.

Por isso, as mediadas de redução de custo de aquisição de clientes que destacamos levam isso me conta. Analise cada uma delas e defina, dessa forma, quais são as mais indicadas para a sua empresa.

1. Defina a sua buyer persona

A primeira dica de como reduzir o custo de aquisição do cliente é definir quem são as suas buyer personas. Ou seja, qual é o perfil de cliente ideal que você quer atrair para o seu negócio?

É a partir da definição das suas personas que será possível traçar estratégias mais assertivas de marketing e de vendas.

Para isso, colete dados demográficos e comportamentais sobre o público que você deseja atingir. Busque identificar quais são as principais dores, necessidades, motivações e expectativas das suas personas.

Uma ferramenta muito útil que te permitirá conhecer melhor o seu público e construir as buyer personas são as pesquisas digitais. Você pode também recorrer a um software de CRM; esse tipo de sistema é uma boa fonte de dados dos seus prospects, leads e clientes.

2. Invista em marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo é uma estratégia relativamente mais barata para atrair novos negócios, além de ser mais fácil de escalar. Ela consiste em produzir conteúdos relevantes para as suas buyer personas sobre assuntos que tenham relação com o produto ou serviço que a sua empresa comercializa.

A intenção do marketing de conteúdo é gerar mais leads, nutri-los e fazer com que eles avancem até a base do funil de vendas.

Para isso, você pode criar um blog para a sua empresa e publique artigos que esclareçam as dúvidas de visitantes.

Produza conteúdos ricos, como e-books e webinars, e os ofereça aos visitantes em troca de alguns dados cadastrais, como nome, e–mail e telefone. A partir disso, você começará a construir um relacionamento com esses leads.

Não deixe de utilizar técnicas de SEO (Search Engine Optimization) para que o seu blog fique bem posicionado nos sites de busca.

Veja mais: Entendendo a diferença das vendas Inbound e Outbound

3. Faça com que seus clientes atuais sejam promotores da sua marca

Outra estratégia de como reduzir o custo de aquisição do cliente é fazer com que seus clientes atuais se tornem promotores da sua marca e tragam novas oportunidades de negócio.

Você pode incentivar os seus clientes a indicarem seus produtos ou serviços. Uma forma de fazer isso, por exemplo, é oferecendo descontos para cada indicação que se concretizar em uma nova venda.

Uma empresa que faz isso muito bem é o iFood. Você pode ganhar cupons de desconto sempre que outras pessoas fizerem pedidos utilizando o seu código promocional.

Ou seja, você investe pouco oferecendo essas vantagens e tem um grande potencial de retorno.

4. Mantenha os departamento de marketing e de vendas alinhados

Não há como reduzir o custo de aquisição do cliente se não houver um alinhamento entre os setores de marketing e de vendas, o chamado smarketing.

De nada adianta elaborar excelentes estratégias de marketing se a equipe de vendas não estiver preparada para converter o lead qualificado e colocar tudo a perder.

Portanto, os discursos entre esses departamentos precisam estar perfeitamente alinhados. Só assim será possível transmitir coerência e segurança para o lead e convencê-lo a fechar negócio.

Veja também: P&R: Planejamento Estratégico e Marketing e Vendas

5. Estabeleça suas metas

Por fim, é importante que você estabeleça metas sobre qual deve ser o seu CAC ideal para determinada campanha ou para um período específico.

Para isso, utilize métricas e indicadores como o ticket médio e o retorno sobre investimento (ROI). Assim, será possível analisar a eficácia das suas estratégias e cobrar melhores resultados dos colaboradores.

Confira em nosso blog: Planejamento estratégico: metas e objetivos. Como definir e atingir?

Essas foram as nossas 5 dicas de como reduzir o custo de aquisição do cliente. Que tal colocá-las em prática na sua empresa?

Leia também: Gestão de custos e formação de preços: o que é, importância, ferramentas e exemplos

A Setting é uma consultoria empresarial que usa uma abordagem sistêmica baseada em fatos e, por isso, entrega valor e resultados para o seu negócio.

Para ajustar seus custos de aquisição, talvez você tenha até que repensar seu modelo de negócio. Entenda isso melhor baixando nosso e-book gratuito: Modelo de Negócio – Como e quando mudar?

Vera Maria Stuart Secaf

Author Vera Maria Stuart Secaf

Sócia e Consultora sênior, atua há mais de 20 anos na gestão em organizações de diversos portes e setores. Ministrou aulas nos cursos de pós graduação da FUPAM, FEA/USP, FGV in Company e ANBIMA. Vera é administradora de empresas com MBA na Fundação Dom Cabral e Kellogg e Master em Governança na Nova Economia pelo GoNew Economy.

More posts by Vera Maria Stuart Secaf

Comentários no Facebook