Gestão Empresarial

Cadeia de valor e cadeia de suprimentos: abordagem inicial

By 21 de junho de 2018 No Comments
Cadeia de valor e cadeia de suprimentos

Compartilhe isso!

Cadeia de valor e cadeia de suprimentos, se analisadas de forma conjunta, são redes de empresas e processos que se unem para fornecer um produto de boa qualidade, a baixo custo e em tempo hábil para seus clientes.

Mas é preciso entender que a cadeia de suprimentos (também chamada de supply chain), apesar de fazer parte da cadeia de valor, não se confunde com ela.

Mesmo porque, boa parte de suas atividaeds ocorre fora da empresa, apesar de ser gerenciada e controlada internamente.

Ambas as cadeias consistem em uma seleção bem integrada de processos que devem ser gerenciados estrategicamente para fornecer a máxima satisfação ao cliente.

Mas o foco de cada uma é diferente.

A cadeia de fornecimento concentra-se em abastecer de produtos ou insumos desde a produção até a entrega, enquanto a cadeia de valor se concentra da regulação dos processos de negócios para alcançar o máximo valor percebido pelo cliente.

Nesta postagem, você vai entender a diferença entre cadeia de valor e cadeia de suprimentos e como suas atividades se correlacionam.

Veja também em nosso blog: P&R: Cadeia de Valor, de Suprimentos e Reuniões de Diretoria

O que é uma cadeia de suprimentos?

Uma cadeia de suprimentos é como uma sequência ou uma coleção de fornecedores, produtores, distribuidores, tecnologias, sistemas de informação, transportadores etc., que se reúnem para produzir e vender produtos para os clientes finais.

Uma cadeia de suprimentos converte matérias-primas, recursos naturais e suprimentos em um produto acabado que é, finalmente, entregue e vendido ao consumidor final.

A cadeia de suprimentos é geralmente composta por uma rede de empresas individuais responsáveis ​​por uma determinada etapa do processo, como fornecedores de matéria-prima, fabricantes, distribuidores, revendedores e varejistas.

Assim, uma boa estratégia da cadeia de suprimentos deve conjugar essas operações para atender metas de produção específicas em cada elo da cadeia.

O gerenciamento da cadeia de fornecimento é crucial para as organizações obterem um processo eficiente e de baixo desperdício, onde a confiança e a parceria são fundamentais.

Os 4 componentes da cadeia de suprimentos

Há quatro componentes principais para o gerenciamento da cadeia de suprimentos:

  1. Design de produtos para atender à demanda do consumidor;
  2. Obter todos os materiais necessários para sua produção;
  3. Produção;
  4. Entrega de produtos aos consumidores.

As principais preocupações da gestão da cadeia de suprimentos são os custos dos materiais e a entrega efetiva dos produtos.

O gerenciamento adequado da cadeia de suprimentos pode diminuir riscos, reduzir os custos do consumidor e aumentar os lucros para o fabricante.

Empresas multinacionais, como montadoras de automóveis, por exemplo, precisam contar com um bom número de unidades de negócios que produzem peças (pneus, jantes, assentos, freios, espelhos, etc.), montam, distribuem e vendem seus produtos.

Tudo isso é gerenciado por sistemas sofisticados de controle da cadeia de suprimentos, para garantir a produção em tempo hábil, menos desperdício e baixo custo, com a qualidade exigida pelo cliente final.

O que é uma cadeia de valor?

Agora vai ficar mais claro para você a diferença entre cadeia de valor e cadeia de suprimentos.

A cadeia de valor é definida como a combinação de atividades de adição de valor que são integradas para fornecer ao cliente um melhor resultado.

As cadeias de valor estão focadas em fornecer o máximo valor ao cliente com o menor custo e, por isso, desempenham um papel fundamental para a competitividade da empresa.

Em resumo: o processo de criação de valor para o cliente, vinculando os processos de agregação de valor a uma empresa (ou mais empresas, se parte do processo de produção é terceirizado) é chamado de cadeia de valor.

A maioria das cadeias de valor evolui em torno da percepção exata das necessidades e exigências do cliente, alinhando assim as atividades da empresa de maneira a atender efetiva e eficazmente a essas necessidades.

Tudo aquilo que não contribuir para a satisfação do cliente deve ser excluído da cadeia de valor, pois trata-se de uma atividade que só traz custos e não melhora o desempenho da empresa.

O objetivo da cadeia de valor é mais que satisfazer as necessidades do cliente, mas ir além do esperado por ele, justificando que ele pague o preço da mercadoria ou serviço ofertado pela empresa.

Cadeias de valor bem-sucedidas resultarão em vantagens competitivas para a empresa e seus custos de produção devem ser menores que o valor percebido pelo cliente, gerando o lucro necessário para a sustentabilidade do negócio em longo prazo.

Qual é a diferença entre cadeia de valor e cadeia de suprimentos?

Apesar de serem processos adotados pelas empresas para gerenciar as atividades de produção e agregação de valor, com o objetivo de fornecer ao cliente um produto de boa qualidade, capaz de satisfazer suas necessidades a baixo custo, existe uma diferença entre cadeia de valor e cadeia de suprimentos.

A cadeia de suprimentos diz respeito à produção, vendas e distribuição de produtos, enquanto a cadeia de valor exige um passo mais à frente.

Ela analisa como o valor agregado pode ser criado e agregado ao produto através da organização de operações de negócios, a fim de melhorar a percepção de valor pelo cliente.

A principal diferença entre cadeia de valor e cadeia de suprimentos é que as cadeias de suprimentos acompanham o produto desde o fornecimento até o cliente, enquanto, em uma cadeia de valor, o ponto de partida é o cliente, no sentido de que sua necessidade será atendida.

Isto é: não se cria um produto e tenta se achar clientes para comprá-lo, o processo é inverso: descobre-se o que o cliente quer e cria-se uma cadeia de valor para atendê-lo!

Confira: Atração ou retenção de clientes? Aprenda a encontrar o equilíbrio!

A Setting é uma empresa de consultoria que pode ajudar seu negócio a criar a cadeia de valor ideal para atender as necessidades de seus clientes.

Baixe nosso e-book gratuito e faça um diagnóstico de sua empresa para saber onde é preciso melhorar: Por dentro de um diagnóstico empresarial

Jorge Secaf Neto

Author Jorge Secaf Neto

Sócio fundador da Setting Consultoria e Gestão Empresarial e Conselheiro Certificado IBGC, atua como Conselheiro, Consultor Sênior ou assume responsabilidade executiva (interim manager) em organizações que buscam transformação. Graduado em engenharia civil (Mackenzie), pós-graduado em engenharia de produção (Politécnica), possui formação executiva por meio de cursos de longa duração em instituições de renome no Brasil e no exterior (Fundação Dom Cabral; Kellogg; INSEAD; Harvard). Atuou como examinador do Prêmio Nacional da Qualidade por 10 ciclos e tem seus principais interesses acadêmicos e profissionais vinculados à educação executiva e à busca pela excelência em governança e gestão organizacional.

More posts by Jorge Secaf Neto

Comentários no Facebook