Estratégia

O que é pivotar startup: conheça cases e dicas de sucesso

By 31 de dezembro de 2018 No Comments
O que é pivotar

Imagine que você teve uma grande ideia para criar um negócio. Se arriscou, abriu a startup, mas sua proposta inicial não está oferecendo o resultado que esperava. O que fazer neste momento?

Primeiramente, não se desespere. Grandes empresas que hoje valem bilhões de dólares no mercado também começaram desta maneira.

O que eles fizeram? Entenderam muito bem o que é pivot e o que é pivotar startup! Com isso, deram a volta por cima e mostraram que seu potencial não se baseava em apenas uma única ideia.

Então talvez a pergunta que você deva se fazer é exatamente a mesma: o que é pivotar? O que é pivotar startup?

Veja também: 5 exemplos de startups que estão revolucionando o mercado!

O que é pivot?

Saber o que é pivot é importante para entender como adaptamos isso ao universo de startups brasileiro.

O verbo “pivot”, em inglês, significa girar. Para os empreendedores (e investidores em startup), na tradução e na prática, pivotar quer dizer girar o negócio em uma outra direção.

O pivot geralmente acontece depois de alguns testes. Assim, caso a percepção do empresário indique que uma reestruturação é necessária, isso deve ser feito.

E essa mudança pode se relacionar à ideia do negócio, ao atendimento aos clientes, público-alvo, produto, personalização. Enfim, qualquer coisa que precise ser mudada.

Não se trata apenas de aprimorar ou ajustar algo que não está indo bem, mas sim de verdadeiramente transformar, seguir um caminho diferente. O objetivo é encontrar uma nova proposta de valor e melhorar o posicionamento da empresa.

Também não significa que você deva abrir mão e desistir de uma startup para começar outra. Na verdade, trata-se de aproveitar o que deu certo, tudo que aprendeu até aqui, e seguir um rumo mais preciso.

Quer saber o que é pivotar startup? Simples! Aproveitar aquele negócio inicial e todos os ativos investidos e mudar sua estratégia, apostando em algo realmente novo.

Confira: Mapeamento de processos empresariais em startups: como defini-los?

Facebook: um pivot de sucesso!

Para exemplificar o que é pivotar startup, trouxemos à tona o case de uma empresa que você conhece bem: Facebook.

O Facebook não começou da maneira como o conhecemos hoje, alcançando seu valor de mais de US$ 500 bilhões e unindo o mundo em uma rede social. Seu antecessor se chamava “Facemash”, também criado pelo programador e empreendedor Mark Zuckerberg.

O site aparecia como um jogo para estudantes da Harvard, que escolhiam, entre duas fotos de estudantes, o mais atraente. O lançamento, em 2003, precisou envolver uma espécie de arquivo, onde Mark cadastrou todas as imagens de estudantes da universidade. Até então, esse tipo de banco on-line com fotos e informações básicas de estudantes nunca antes havia sido criado.

Zuckerberg logo transformou a ideia em uma rede social para conectar, através da comunicação, todos os estudantes da Harvard. O pivot neste caso continuou acontecendo – com o lançamento do Facebook para mais universidades e, depois, expandindo para usuários do mundo todo.

Hoje a empresa tem a rede social mais conhecida do mundo, é dona do WhatsApp e do Instagram. Assim, os “pivôs” foram essenciais para o caminho de Mark, que foi criando novas funções para a sua empresa e modificando suas estratégias até chegar em algo novo e lucrativo.

Pivotar como transformação de negócio

Há casos de outras empresas conhecidas que nem percebemos quantas vezes precisaram falhar para finalmente obter o sucesso que desejavam.

O próprio Twitter nasceu de uma startup de podcast, que perdeu o sentido após a chegada de plataformas como iTunes. O PayPal, que em 1999 apareceu como uma solução para transferir dinheiro em situações mais limitadas, hoje auxilia em inúmeros casos de pagamento on-line.

O Groupon iniciou com uma plataforma de ações sociais e pivotou até chegar ao site de cupons e compras coletivas que é hoje. O Flickr, que se tornou um site de compartilhamento de fotos mundial, começou como um RPG com troca de imagens entre jogadores.

O que todas essas empresas nos mostram é que, independentemente da ideia inicial ou do primeiro “fracasso”, desistir não é uma opção. Pivotar, por outro lado, pode ser a saída buscada por uma empresa!

Qual a melhor forma para pivotar startup? Veja 6 dicas!

1- Sinta o momento certo

Entenda a necessidade de pivotar sua ideia e mudar o direcionamento do seu negócio.

  • Seus potenciais clientes não se interessam mais por seu serviço ou produto?
  • Já tentou fazer ajustes, mas não consegue alcançar nenhum lucro?
  • O segmento que trabalha está saturado demais?

Talvez seja o momento certo para pivotar!

2- Enxergue falhas como oportunidades

Algo deu errado? Não tem problema. Use os erros e o que não deu certo como aprendizado. Como oportunidade para criar um novo modelo de negócio, mais assertivo e vantajoso para todos.

Assim, todo o sucesso e fracasso anteriores podem ser aplicados em novas áreas, novos públicos e novas conquistas.

3- Mantenha e aproveite velhos insights

Você ainda pode utilizar todos os insights que teve sobre seus clientes ao longo dos anos. Por isso, não jogue fora as ideias e nem mesmo a empresa.

Agora que sabe o que é pivotar, entende a necessidade de mudar sua estratégia para alcançar seus clientes.

Acrescente novas ideias às antigas, assim como Mark Zuckerberg e tantos outros grandes empresários fizeram.

4- Descubra seus clientes e necessidades

Não se atente somente às estatísticas. Lembre de tudo o que você aprendeu sobre seus clientes e crie novas maneiras de entender o que verdadeiramente querem.

Além de desenvolver a empatia, você criará um produto que seja importante e atenda às necessidades do público. Você já se aproximou deles uma vez, então, a tendência é que as soluções passem a ser mais personalizadas.

5- Foque no cliente e não no produto

Não pense no pivot como uma mudança no produto, mas sim na satisfação do seu cliente. A cultura de toda a equipe deve ser essa, no foco em tornar os consumidores mais felizes com as mudanças.

6- Encare como um processo contínuo

Você pivotou sua startup hoje, mas não quer dizer que amanhã não terá que fazer de novo.

É por isso que trabalhar com startups pode ser a melhor escolha até que a empresa deslanche.

Este modelo de negócio possibilita que você faça mais testes frequentemente e de forma mais barata. Também é a solução ideal para agregar valor aos clientes como um verdadeiro processo contínuo.

Dizem que pivot implica em manter um pé firme no lugar enquanto você muda o outro em novas direções.

E você, já precisou fazer isso em alguma situação? O que pensa sobre pivotar startup?

Confira este infográfico do blog Madrid Empreende, ele tem um resumo do que dissemos até agora: tenha a ideia, construa sua startup, meça os resultados, aprenda e decida se deve manter a ideia (melhorando sempre!) ou pivotar:

O que é pivotar startup

Saiba mais: Consultoria para startups: um apoio essencial na gestão

A Setting é uma consultoria empresarial focada em resultados. Ela usa uma visão sistêmica, a gestão baseada em fatos, a excelência e o foco no cliente para criar valor e gerar resultados.

Quer saber se está na hora de pivotar sua startup? Faça um diagnóstico de sua empresa, baixe nosso e-book gratuito: Por dentro de um diagnóstico empresarial

Comentários no Facebook