Consultoria para escolas: O que é? Como funciona? Vale a pena contratar?

By | Consultoria | No Comments
consultoria-para-escolas

Muitas organizações de ensino são geridas por excelentes professores, educadores ou pedagogos. E, nem sempre, sua especialidade é a gestão de negócios.

Por isso, é completamente normal que esses profissionais tenham que superar desafios e sair de sua área de conforto para desempenhar esse papel de liderança empresarial.

Mas, para contornar isso, já pensou em contratar uma consultoria especializada em educação para sua instituição de ensino?

Esse tipo de serviço tem como um de seus principais objetivos orientar a gestão das escolas em seus diferentes aspectos a fim de otimizar os processos e potencializar os resultados.

Ficou interessado? Então continue a leitura deste artigo para entender melhor o que é e como funciona uma consultoria para escolas.

Confira também nas próximas linhas as vantagens que essa consultoria pode trazer para as instituições contratantes e veja se vale mesmo a pena investir nesse serviço. Read More

Homologação de fornecedores de serviços: dicas importantes para a terceirização

By | Governança | No Comments
homologação de fornecedores de serviços

Encontrar bons prestadores de serviços requer tanto planejamento e dedicação quanto para formar uma cadeia de suprimentos confiável, lucrativa e segura. Por isso, hoje vamos abordar de maneira destacada a homologação de fornecedores de serviços.

Muitas áreas dentro de uma empresa podem ser terceirizadas, por se tratar de atividades-meio, que não estão diretamente ligadas à operação, ou seja, não compensa manter uma equipe especializada e ainda ter de arcar com toda sua gestão.

Além de seguir as normas vigentes na lei da terceirização, também é importante tomar alguns cuidados no processo de qualificação de fornecedores de serviços, uma vez que eles podem afetar o ambiente e o desempenho dos seus colaboradores. Isso sem mencionar possíveis danos reputacionais.

A exemplo disso, temos o recente caso do Carrefour, onde seguranças terceirizados, acusados de racismo, agrediram e assassinaram um homem em uma das unidades da rede. Como resultado, a marca foi alvo de protestos, ataques e boicotes por todo o país.

Veja como realizar a gestão de riscos adequadamente também na homologação de prestadores de serviços e tenha total segurança no seu relacionamento com colaboradores terceirizados. Boa leitura. Read More

O que é tomada de decisão nas organizações?

By | Gestão Empresarial | No Comments
O que é tomada de decisão nas organizações

Antes de descobrir o que é tomada de decisão nas organizações, vamos te fazer uma pergunta: você se considera uma pessoa decidida?

Pois em uma pesquisa realizada pela Opinion Box e Locaweb, 67% dos gestores se reconhecem desta forma.

Entretanto, no ambiente corporativo, é preciso mais do que confiança e pragmatismo para tomar uma decisão. É necessário analisar cenários, ponderar possibilidades, tomar como base dados certeiros e projetar impactos.

Se você quer entender um pouco mais sobre o que é tomada de decisão nas organizações e como este processo funciona, continue lendo nosso artigo e descubra tudo!

O que é tomada de decisão?

Podemos definir a tomada de decisão nas organizações como um processo de escolha sobre quais caminhos seguir diante de uma situação estratégica ou importante.

A tomada de decisão envolve a escolha de um plano de ação e a avaliação de todas as alternativas possíveis, sempre buscando chegar à melhor solução para a questão analisada.

De forma geral, entender o que é tomada de decisão pressupõe entender, também, que ele raramente acontece de forma individual. Ainda que, no fim das contas, o gestor tenha a palavra final, ele consulta e se apoia em profissionais interligados com o problema analisado, a fim de entender todos os lados do problema e tomar uma decisão assertiva.

Podemos dizer, portanto, que o processo de tomada de decisão é contínuo e dinâmico, e que perpassa diversas áreas da organização. Seu objetivo geral é manter a sustentabilidade do negócio, garantindo seu bom funcionamento em todos os níveis administrativos e operacionais.

Quais os principais tipos de tomadas de decisão?

Existem diversos perfis de tomadas de decisão, e, muitas vezes, antes de definir qual caminho seguir, a liderança utiliza diversos modelos para amadurecer as possibilidades e encarar visões diferentes da questão.

Alguns dos formatos de tomada de decisões estão listados abaixo.

Intuitivas

Neste caso, a decisão é tomada com base em sensações internas. Não leva em consideração análises profundas ou dados mensuráveis, apenas o sentimento que pode levar em consideração aspectos lógicos e racionais.

No contexto empresarial, decisões intuitivas quase nunca são recomendáveis. Por se tratar de um ambiente com múltiplas variáveis e processos autônomos, é sempre aconselhável verificar os pontos de vista das diversas áreas e cruzá-los em busca de uma interseção que ajude a delimitar o caminho a seguir na tomada de decisão.

No entanto, nem sempre há tempo hábil para isso. Portanto, podemos dizer que, nas corporações, tomadas de decisões intuitivas ocorrem diante de situações emergenciais e imprevistas.

Coletivas

Diferentemente da modalidade acima, em que a individualidade e a intuição são os principais atributos da tomada de decisão, aqui, a coletividade conta.

Neste caso, são realizadas reuniões e debates com a participação de colaboradores e gestores de áreas, que apresentam relatórios e compilações de dados que ajudam a definir um caminho a seguir no processo decisório das organizações.

Quais são as etapas do processo de tomada de decisão?

O conhecimento das etapas do processo de tomada de decisão está muito ligado à compreensão da definição de gestão empresarial. A gestão é uma atividade complexa, que envolve a utilização otimizada dos recursos da empresa, o acompanhamento e controle dos processos e a manutenção da saúde financeira do negócio.

E sabe como uma empresa alcança tudo isso?

Sabendo o que é tomada de decisão e conhecendo as etapas do processo! A seguir, falaremos resumidamente sobre cada uma delas.

1- Identificar o problema

A etapa inicial requer uma olhada atenciosa para o funcionamento da empresa. Só assim será possível ter um entendimento completo sobre o problema, por quais áreas ele passa e qual a sua complexidade.

2- Coletar os dados

Após entender o problema, é o momento de levantar dados e informações que auxiliem na tomada de decisão: relatórios, gráficos, análises mensais, planilhas, KPIs de vendas e depoimentos dos colaboradores sobre o funcionamento da rotina são algumas das possibilidades.

3- Analisar as informações

Com as informações à mão, é hora de elencar as soluções possíveis. Uma dica importante é sempre levar em conta a realidade da empresa e seu contexto mercadológico. Muitas vezes, um plano pode parecer excelente, mas a decisão não é aplicável na prática em razão do mercado no qual a empresa está inserida.

Escolher a melhor solução

Soluções desenhadas, é hora de escolher a opção adequada. Para determiná-la, é essencial buscar as respostas a algumas perguntas, como:

  • qual o prazo ideal para executar a solução?
  • ela é viável e alinhada aos propósitos da empresa?
  • quais serão os impactos da tomada de decisão?
  • o que é necessário, em termos de recursos, para executar a decisão?
  • por que esta é a melhor opção dentre as outras?

5- Executar e acompanhar resultados

Opção escolhida, é hora de partir para a execução! Além de colocá-la em prática, o pulo do gato é estabelecer indicadores para o acompanhamento dos resultados. Assim, é viável entender se a decisão tomada foi assertiva e em quanto tempo trouxe impactos positivos (ou negativos) para a empresa.

Qual a importância de tomar decisões assertivas?

Nos dias de hoje, a volatilidade e a agilidade tomam conta da rotina nas empresas. Por isso, é fundamental saber tomar decisões fundamentadas. A principal vantagem de tomar decisões assertivas é conseguir prever suas consequências para a empresa, reduzindo os impactos negativos.

Decisões assertivas fazem com que a empresa se movimente, mantendo um fluxo de constante evolução, e trazem consigo impactos como:

A importância dos dados na tomada de decisão

Os dados são o que há de mais moderno e atualizado para corporações que desejam entender melhor sobre si, seus clientes, o mercado e até mesmo os concorrentes.

Felizmente, existem alternativas disponíveis no mercado para tornar a análise de dados uma realidade cada vez mais presente na rotina das empresas.

Uma dessas alternativas é a automação.

Se você ainda não sabe o que é automação, vamos explicar: trata-se de uma ferramenta completamente digital para tornar automáticos e pré-programados alguns processos da empresa. Existem diversos tipos de automação de tarefas disponíveis no mercado: de marketing, vendas, financeiro e até logístico.

O mais importante é compreender que, por meio de um software de automação, é possível extrair dados atualizados e bastante precisos sobre os processos da empresa, e que, desta forma, a tomada de decisão pode ser mais minuciosa e tecnicamente embasada.

Agora que você já entendeu o que é tomada de decisão, deve estar lembrando de todas as vezes que já passou por este momento ou participou indiretamente de um deles, não é mesmo? Lembre-se de adotar nossas dicas nas próximas oportunidades. Certamente, seus resultados serão ainda melhores!

 

Este artigo foi escrito por Júlio Paulillo, Co-founder e CMO do Agendor, a plataforma de aprimoramento em vendas para vendedores profissionais.