Setting Entrevista

Setting Entrevista: Ronaldo Moraes Jr.

By 13 de outubro de 2015 One Comment

SE_OutGraduado em Engenharia Mecânica pela Universidade São Judas Tadeu e mestre em Engenharia Mecânica pela Escola Politécnica da USP, atua no segmento industrial há 21 anos, além de ter sido docente por 2 anos em disciplinas da engenharia. Os anos de experiência foram construídos em empresas multinacionais e em dois grandes hospitais através da atuação no desenvolvimento de produtos, processos de fabricação e gestão de produção.

Atualmente é proprietário da TURN Engenharia, empresa de consultoria e serviços de engenharia com foco em soluções/ações customizadas para gerar alto impacto nos negócios de seus clientes.

01. Em épocas de crise, assuntos como redução de custos, corte de desperdícios e melhoria de produtividade estão sempre presentes nas pautas das reuniões empresariais. Como a engenharia aplicada ao processo pode contribuir com as empresas nesse sentido?

De fato, praticar a gestão de processos é uma tarefa de extrema importância para qualquer empresa, principalmente em momentos de aperto da economia, onde os desperdícios ficam mais evidentes devido à fraca demanda do mercado.

Por processos podemos entender qualquer atividade com começo e fim constituída de várias tarefas. Neste sentido um processo pode ser administrativo ou produtivo.

Na área produtiva costumo diferenciar processo de fabricação de processo de produção. O processo de produção é a cadeia inteira para a fabricação de um bem, assim, o processo de produção de uma geladeira será constituído por muitos processos de fabricação, como o de pintura, furação, estampagem de componentes e etc.

Agora que os processos foram conceituados, fica mais fácil entender como eles afetam a produtividade e estrutura de custos de uma empresa.

Cada tarefa de um processo demanda recursos de material e mão de obra, portanto, deve ser projetado para ser o mais otimizado possível. Mas, na prática não é tão simples quanto parece, nem tão complicado que não possa ser feito. No dia-a-dia, muitas vezes é difícil para quem está envolvido nos processos enxergar com clareza desperdícios e potenciais de melhoria. Felizmente há muitas ferramentas disponíveis para facilitar o trabalho de quem lida com processos e muitas destas ferramentas são provenientes e utilizadas no ambiente de engenharia. Mapear um processo, por exemplo, já fornece muitas informações que servirão de base para melhorias futuras, pois através dele pode-se constatar que algumas tarefas não precisariam ser feitas ou podem ter sua execução reduzida e simplificada.

Além disso, toda a abordagem feita em processos produtivos pode ser aplicada a processos administrativos, de forma que neste último, os ganhos potenciais são ainda maiores.

Juntando tudo, à medida que projetamos processos mais enxutos estamos diretamente alterando os custos da empresa de forma positiva, reduzindo-os, e com isso possibilitando maior lucratividade para o negócio.

02. Outro tema muito discutido e de suma importância para o nosso futuro, é a sustentabilidade. Como aspectos ambientais, sociais e econômicos podem ser considerados nos processos produtivos?

Todo processo produtivo existe para produzir ou transformar algum produto. Produtos são constituídos de matérias-primas e, para sua criação ou transformação, consomem recursos materiais e humanos a fim de cumprir seu destino final que é servir a quem o utiliza e proporcionar continuidade ao negócio de quem o produz.

Com a breve descrição acima podemos relacionar os aspectos ambientas, sociais e econômicos aos processos produtivos com relativa facilidade.

O projeto de produto antecede o processo produtivo e é de suma importância para que este último seja sustentável. É difícil pensar no processo de fabricação e produção sem considerar o projeto do produto e vice-versa, já que ambos estão intimamente ligados. Quando se escolhe determinada matéria-prima, é quase que imediata a definição de como a mesma será processada. Isso fica claro ao pensarmos em uma estrutura de aço ou de concreto, ambas servindo a mesma função, mas com matérias-primas e processos de fabricação tão distintos, afetando diretamente o meio ambiente.

Já os aspectos sociais e econômicos, apesar da distinção entre si, serão considerados em conjunto aqui, mas justificados facilmente, através do exemplo da indústria automobilística.

Os veículos de uma mesma montadora, que devem atender um determinado mercado, muitas vezes têm suas unidades fabricadas em plantas diferentes ao redor do globo ou ainda seus componentes, para que estes sejam montados em determinada região futuramente.

Relacionando esta operação produtiva com os aspectos sociais e econômicos fica fácil perceber que em diferentes regiões a disponibilidade de mão de obra e seus custos são diferentes, além das condições econômicas e incentivos fiscais da região.

Concluindo e fazendo uma pequena crítica, o tema sustentabilidade está tão em pauta atualmente porque ao longo do tempo a intervenção humana no ambiente, principalmente na era industrial, privilegiou o aspecto econômico e deixou em segundo plano os aspectos ambientais e sociais.

03. Qual é a importância da busca de novas tecnologias que possam ajudar as empresas a estarem mais bem preparadas para enfrentar a crise e/ou contribuírem com um mundo melhor?

Novas tecnologias são sempre bem vindas e importantes não só para as empresas, mas para humanidade de forma geral. Através da evolução tecnológica ao longo do tempo, muitas coisas impossíveis no passado se tornaram possíveis e viáveis nos dias de hoje. Tomando como exemplo a área de medicina diagnóstica, quantas vidas não foram salvas com a detecção em estágio inicial de doenças graves através da ressonância magnética e tomografia? Na área de telecomunicações, hoje trocamos milhares de informações em segundos, quando no passado documentos demoravam dias ou semanas de um lugar a outro.

Por outro lado, vivemos tempos difíceis atualmente a despeito de toda tecnologia em nossas mãos. O desenvolvimento acelerado da humanidade tem trazido efeitos colaterais enormes para o planeta e em esferas menores para países, cidades e comunidades. Basta observarmos as mudanças climáticas para constatar que nossa atuação não tem sido a mais inteligente.

Novamente, não dá para ignorar que muito disso se deve à atuação de grandes corporações privilegiando os aspectos econômicos sobre os aspectos ambientais e sociais.

Portanto, acredito que novas tecnologias são e continuarão a ser importantes para o progresso da humanidade, mas à medida que forem concebidas e utilizadas para, de fato, tornar a vida das pessoas melhor e mais sustentável.

04. Em sua opinião, onde as empresas têm mais oportunidades de ganho: na melhoria do produto ou do processo? Como isso deve se combinar com as principais diretrizes da empresa?

Analisando sobre o ponto de vista de custos, depende. Um produto pode ter custos elevados agregados às suas matérias-primas e custos mais baixos relativos aos processos de transformação e mão de obra envolvidos, sendo que o oposto também pode ser verdadeiro, portanto, da análise de custos devem-se tomar ações para melhorar produtos ou processos e estes trarão resultados mais ou menos significativos comparados entre si.

Além dos custos citados também é preciso considerar outros aspectos para nortear melhorias como facilidade de execução, impacto das mudanças propostas, interno e sobre os clientes e custos de implantação, dentro outros. Novamente não é possível afirmar se haverá mais ganho em melhorias no produto ou nos processos devido ao resultado estar atrelado a muitas variáveis.

O que tenho observado na prática é que muitos produtos não podem ser modificados depois de prontos e lançados ao mercado, ou ainda teriam maior resistência à mudança por parte dos usuários e clientes finais, enquanto que os processos, como atividades internas de uma empresa podem ser modificados com menor resistência. Somado a isso, os processos produtivos e administrativos são algo que se convive com eles ao longo de toda a vida útil de um produto, seja este último bem ou mal concebido, logo, é natural que ao longo dessa vida útil os processos sejam alterados muitas vezes.

Fechando o assunto, há ganhos em melhorias tanto do produto quanto dos processos e acredito que estas devem ser praticadas de forma integrada. Além disso, os produtos de uma empresa são a razão de sua existência e para que ela continue saudável é fundamental que tais produtos tragam o retorno esperado. O retorno aqui mencionado pode ser medido através de participação no mercado, lucro líquido, crescimento de X% ao ano entre outros e estes indicadores fazem parte das diretrizes estratégicas da empresa.

Colocado assim, fica fácil entender que todas as ações sobre os produtos e os processos devem vir das definições estratégicas da empresa e devem atender a critérios pré-estabelecidos pela unidade de negócio.

Comentários no Facebook

Não perca mais nenhum post!

Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!